Paul Hanna/Reuters
Paul Hanna/Reuters

Johan Cruyff afirma que Neymar é o problema do Barcelona

Holandês diz que alto salário do brasileiro pode causar conflitos no vestiário do clube

O Estado de S. Paulo

25 de março de 2014 | 10h37

KUALA LUMPUR - Mesmo que o Barcelona tenha derrotado o Real Madrid fora de casa pelo Campeonato Espanhol, num jogaço de fazer o torcedor perder o fôlego, a atuação razoavelmente apagada de Neymar ainda rende comentários em todo o mundo. Nesta terça-feira, o ex-jogador e ex-técnico do time catalão, o lendário Johan Cruyff, insinuou que o alto salário do brasileiro possa causar desavenças no vestiário da equipe espanhola.

"O problema do Barcelona é Neymar. É um grande jogador e isso é indiscutível, mas não se pode contratar um jogador de 21 anos (ele tem 22) e que ganhe mais do que jogadores que já ganharam tudo no clube. Ninguém aos 21 anos é Deus", afirmou o holandês, que está em Kuala Lumpur, na Malásia, participando da entrega do Premio Laureus.

Apesar de não possuir problemas em relação a salários, o ídolo do Barcelona e da seleção holandesa disse que a situação pode causar conflito dentro do elenco catalão. "Para mim isso não é problema, mas é um problema para o Barça porque se cria uma situação muito conflitiva com outros atletas. Fora isso, você já tem o melhor jogador do mundo (em referência à Messi) e um jogador tão novo não pode ser a grande figura. Isso é impossível no futebol." 

Cruyff também comentou sobre o clássico do último domingo entre Real Madrid e Barcelona. Mesmo dizendo que não pôde assistir à vitória do clube catalão por 4 a 3, devido a viagem para a Ásia, o holandês comentou sobre as últimas rodadas do Campeonato Espanhol. "Quando soube (do resultado), foi uma surpresa pela amplitude do marcador. Todas as partidas serão finais para Barcelona, Real Madrid e Atlético de Madrid. É de muito mérito a constância que o Atlético está mesmo sem um grande elenco."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.