Claude Paris/AP
Claude Paris/AP

John Terry admite mau momento do Chelsea, mas nega crise

Capitão minimiza fato de a equipe ter conseguido apenas cinco pontos em 18 possíveis no Inglês

AE, Agência Estado

10 de dezembro de 2010 | 11h13

Com apenas cinco pontos ganhos em 18 possíveis nas últimas seis partidas do Campeonato Inglês, o Chelsea não passa por uma boa fase na temporada. Com problemas de contusões - de jogadores como Lampard e Essien -, o nível técnico do time caiu, mas, de acordo com o zagueiro e capitão John Terry, não há crise no clube.

"Não há crise nenhuma no momento. Ainda temos muitas chances no Campeonato Inglês e acabamos de terminar em primeiro lugar do grupo (C, à frente do Olympique de Marseille) na primeira fase da Liga dos Campeões da Europa", afirmou o capitão do Chelsea.

Com 30 pontos, o clube londrino ocupa a terceira colocação no Campeonato Inglês, dois pontos atrás do líder Arsenal e um a menos do que o Manchester United - este último, porém, tem um jogo a menos. As duas equipes, aliás, serão adversárias do Chelsea ainda neste mês.

Depois de enfrentar o quinto colocado Tottenham no domingo, o time de Terry recebe o Manchester United, no dia 19 de dezembro, e visita o Arsenal, no dia 27 de dezembro. Para o zagueiro, esta é a chance para se reabilitar na competição.

"Precisamos de uma boa sequência e agora seria o momento perfeito, com Tottenham, Manchester United e Arsenal sendo os próximos adversários. Temos grandes jogadores aqui que, espero, estejam preparados para lidar com o desafio", declarou Terry.

Para Terry, se o Chelsea não passa por bom momento, Arsenal e Manchester United também não estão jogando um bom futebol. "Os jogadores precisam perceber que se não nos recuperarmos logo daremos o título para o Manchester, que não está jogando bem, ou para o Arsenal, que também não está bem no momento. Acho que ninguém pode dizer que eles estão bem e a boa notícia é que estamos na briga", concluiu o zagueiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.