Joinville só admite torcedores comuns

O Joinville decidiu proibir a entrada de torcedores uniformizados e nem serão reservados ingressos para os clubes adversários em seu estádio a partir do jogo contra o Guarani, sábado, pelo campeonato catarinense. No último domingo, em Itajaí, após o jogo contra o Marcílio Dias, o estudante Rafael César Bueno levou um tiro na cabeça durante uma briga nas arquibancadas e está internado em estado grave. O comunicado do Jonville já foi entregue à Federação Catarinense de Futebol. Até que seja solucionado o caso, o clube só vai permitir a entrada de torcedores comuns, sem camisetas identificando seus clubes. Mas a medida contraria dispositivos legais. "Sou a favor dessa conduta, mas não está de acordo com o Estatuto do Torcedor e do Código Desportivo do Federação, porque 10% dos ingressos devem ser disponibilizados aos torcedores visitantes", explicou o diretor jurídico da FCF, Rodrigo Capela. Em coma induzido, o torcedor do Joinville, de 19 anos, está internado na UTI do Hospital Marieta Konder Bornhasen, em Itajaí. Os médicos devem avaliar amanhã se haverá condições de realizar a cirurgia para extrair a bala, que está alojada em seu crânio. A assessoria de comunicação do hospital informou hoje que o estado do paciente é delicado. Foram implantados cateteres para controlar a pressão intracraniana, que deve ser normalizada para ser possível verificar a extensão do ferimento e o que pode ter sido comprometido. O delegado Rui Garcia dos Santos já ouviu várias testemunhas do incidente e afirmou hoje que espera o comparecimento de um suspeito, identificado por uma testemunha. "Nós sabemos seu nome e endereço. Agora, estamos aguardando até segunda-feira para que ele se apresente. Se isso não acontecer, vamos pedir sua prisão preventiva", explicou o delegado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.