Jorge Campos vê México seguro e critica ausência de Chicharito

Ex-goleiro da seleção está no Recife para acompanhar mexicanos

Daniel Batista - Enviado especial ao Recife, O Estado de S. Paulo

23 de junho de 2014 | 13h56

O folclórico ex-goleiro e atacante do México, Jorge Campos, chegou na sala de imprensa descalço, com os pés cheios de água por causa de uma forte chuva que caia no Recife horas antes do início da partida entre México e Croácia. Comentarista de uma TV mexicana, o ídolo do país mostrou que a personalidade forte continua mesmo fora das quatro linhas e faz questão de deixar claro que não entende o motivo de Chicharito Hernández estar no banco de reservas.

"Chicharito é um grande jogador. Não entendo o motivo dele ser reserva, mas no futebol, quem manda é o treinador e Miguel Herrera tem seus motivos. No México, todo mundo acreditava que ele seria titular", disse o ex-jogador. Com um terno cinza e uma calça roxa, roupas bem menos chamativas em comparação as que ele gostava de usar nos tempos de jogador, Jorge Campos fez questão de elogiar o goleiro Guillermo Ochoa e ainda aproveitou para brincar com o Brasil quando questionado sobre o pensa do titular mexicano.

"O que penso de Ochoa? O mesmo que que vocês. Ele salvou o México contra o Brasil e é um grande goleiro. Tem muita experiência e creio que ele, ao lado de Julio César, Navas e Neuer são os melhores goleiros do mundo", opinou o ex-goleiro e atacante. Apostando que o México chega até as quartas ou semifinal do Mundial, o comentarista disse que acredita no Brasil como grande favorito ao título. "Acompanho a seleção brasileira e esperamos que o Brasil chegue na final. A equipe está em casa, tem muito bons jogadores e creio que a experiência do técnico é muito importante."

Jorge Campos foi goleiro nas Copas de 1994, 98 (ambas como titulares) e 2002 (reserva). Ele já trabalhou como auxiliar técnico de Ricardo La Volpe, na Copa de 2006 pela seleção do México e atualmente é comentarista de uma TV mexicana. Além de ser goleiro, ele também disputava algumas partidas como atacante, mas não chegou a marcar nenhum gol pela seleção, apenas por clubes. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.