Cesar Greco/Palmeiras
Cesar Greco/Palmeiras

Jorge, do Palmeiras, tem carro danificado e sofre ameaças verbais perto do CT do clube

Clube emite nota demonstrando apoio ao lateral-esquerdo e condenando o ato violento: 'Inaceitável'

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2022 | 14h03

O lateral-esquerdo Jorge sofreu ameaças verbais e teve seu carro danificado na manhã desta terça-feira nas proximidades da Academia de Futebol, o CT do Palmeiras. A direção do clube paulista chamou o episódio de violência de "inaceitável". "A Sociedade Esportiva Palmeiras repudia veementemente este ataque covarde contra o nosso atleta e tomará todas as providências jurídicas e criminais para que os infratores sejam identificados e punidos com o rigor da lei", disse a presidente do clube, Leila Pereira, em comunicado.

De acordo com o Palmeiras, Jorge foi abordado por dois homens quando se aproximava da entrada do CT. O vidro do carro foi danificado. O jogador e nem o clube deram maiores detalhes sobre o ataque ao veículo e sobre as ameaças que teria sofrido. 

"Sabemos que este ato não representa a torcida palmeirense. É inadmissível, contudo, que casos de agressão tenham se tornado rotina no futebol brasileiro nos últimos tempos. A violência não pode ser normalizada; ao contrário, precisa ser combatida com a união de todos os envolvidos no ambiente esportivo", afirmou a mandatária do clube. "Somos uma família: a Família Palmeiras! Quando um dos nossos é agredido, todos também somos!"

O Palmeiras vem de vitórias nas três competições que disputa: o Brasileirão, a Copa do Brasil e a Copa Libertadores. Na competição internacional, da qual é o atual bicampeão, o time paulista vem brilhando em campo, inclusive com goleadas. É dono da melhor campanha da fase de grupos até agora e já está classificado para as oitavas de final. No Brasileirão, no entanto, a situação é diferente. Com duas vitórias em seis jogos, o time alviverde ocupa o nono lugar da tabela, longe de brigar pela liderança da tabela.

Em março, o Estadão publicou que o futebol brasileiro registrou em 2022 um episódio de violência a cada quatro dias, dentre ônibus atacados, invasões de campo e brigas entre torcedores dentro e fora dos estádios. Atletas, técnicos e associações de jogadores e treinadores pediram mudanças à CBF para coibir os atos violentos.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.