Jorge Henrique minimiza jejum e destaca função tática no Vasco

Titular do ataque do Vasco, Jorge Henrique vive um jejum de gols em 2016. O jogador participou de sete dos oito compromissos do time no Campeonato Carioca e ainda não marcou sequer uma vez, tanto que até adota um tom descontraído para comentar a situação, destacando possuir importante função tática, ajudando o sistema defensivo.

Estadão Conteúdo

10 de março de 2016 | 15h33

"Estou ajudando lá atrás para o Nenê fazer gols na frente (risos). Estou ansioso para fazer gols, mas não é o meu objetivo. Eu ajudo a equipe. O torcedor não entende as vezes, quer que eu faça gols, mas não sou de fazer muitos. Espero marcar na hora que chegar na reta final. Estou tranquilo. Procuro fazer o que o Jorginho sempre me pediu, que é ajudar a marcar o lateral", disse.

O Vasco terminou a primeira fase do Campeonato Carioca invicto e com a segunda melhor campanha, pior apenas que o Botafogo. Para Jorge Henrique, o técnico Jorginho é o responsável pelo bom momento do time, lembrando que foi o sob o seu comando que o time reagiu no segundo turno do último Campeonato Brasileiro, embora não tenha conseguido evitar o rebaixamento para a Série B.

"Com a chegada do Jorginho o time encontrou uma forma de jogar. Até brincamos um pouquinho que não lembramos da última derrota que tivemos. É um grupo unido e com muitos objetivos", afirmou.

O Vasco abrirá a sua participação na Taça Guanabara, a segunda fase do Campeonato Carioca, no próximo domingo, quando vai encarar o Bangu, em São Januário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.