Divulgação/Benfica
Divulgação/Benfica

Jorge Jesus comenta suspensão de jogo do PSG: 'Está na moda isso do racismo'

Treinador do Benfica e ex-Flamengo deu opinião controversa e afirmou que 'qualquer coisa que se possa dizer a um negro é sempre sinal de racismo'

Redação, Estadao Conteudo

09 de dezembro de 2020 | 12h10

Um dia após a partida entre Paris Saint-Germain e Instanbul Basaksehir ser suspensa por ato racista, o técnico Jorge Jesus, do Benfica, foi questionado sobre o incidente. E embora o português tenha evitado opinar especificamente sobre o caso, declarou que o assunto "está muito na moda". "Não sei o que aconteceu, o que se falou, o que se disse, mas hoje está muito na moda isso do racismo. Como cidadão, tenho o direito de pensar à minha maneira e só posso ter uma opinião concreta quando souber o que se disse naquele momento", disse o treinador, na entrevista prévia ao duelo entre sua equipe e o Standard Liège, pela Liga Europa.

"Hoje, qualquer coisa que se possa dizer a um negro é sempre sinal de racismo, a mesma coisa contra um branco já não é sinal de racismo. Está se implantando essa onda no mundo. Talvez até houve algum sinal de racismo, mas não sei o que disseram", acrescentou o ex-treinador do Flamengo.

Na última terça-feira, aos 13 minutos do primeiro tempo da partida disputada no Parque dos Príncipes, o camaronês Pierre Webó, auxiliar técnico do Instanbul Basaksehir, acusou o quarto árbitro do jogo contra o PSG, Sebastian Coltescu, de tê-lo ofendido com o uso de um termo racista. A partir daí, houve revolta por parte dos jogadores e membros da comissão, liderados por Demba Ba, que se direcionou ao quarto árbitro em função do seu ato racista. Ele e os demais atletas procuraram o árbitro Ovidiu Hategan, avisando que abandonariam o jogo por causa do incidente.

O ato teve a participação do PSG, com Neymar e Mbappé posicionando-se para o juiz apoio ao time turco, avisando que a equipe francesa também deixaria o campo. Os times, então, se recusaram a retomar o duelo, em solidariedade ao time turco, e dando sequência ao protesto. A Uefa decidiu pela suspensão da partida, retomada nesta quarta, com arbitragem diferente, como desejavam os atletas dos dois clubes. O duelo, quando paralisado, estava 0 a 0, sendo válido pela rodada final da fase de grupos da Liga dos Campeões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.