Jorginho diz que duelo com Chapecoense será 'jogo do ano' para o Vasco

O técnico Jorginho está encarando a partida do Vasco contra a Chapecoense, nesta quinta-feira, no Maracanã, como o "jogo do ano". Para o treinador, uma vitória contra um rival direto na briga para escapar do rebaixamento trará a tranquilidade necessária ao elenco vascaíno para seguir brigando nesta reta final do Brasileirão.

Estadão Conteúdo

14 de outubro de 2015 | 20h41

"Este é o jogo do ano. Uma vitória traz ambiente melhor. E ambiente melhor propicia possibilidade maior de jogarmos mais descontraídos, com prazer. Ainda estamos com pressão. Tínhamos 1% de chance de sair da zona de rebaixamento, hoje temos 15%. Estamos felizes, mas ainda não totalmente. Só estaremos quando cravarmos nossa participação na primeira divisão do ano que vem", declarou o técnico.

Confiante nas chances de o time evitar a queda, Jorginho encara sua missão como a busca pelo título da competição. "Para mim é um título, para ser sincero. Tenho trabalhado muito, dormido pouco. Assisti muitos treinamentos, pensando como fazer e ajustando todos os detalhes. O torcedor tem me parado nas ruas e me incentivado bastante. Para mim vai ser um título", afirmou.

Preocupado com sua penúltima colocação na tabela, Jorginho contou com um aliado nestas últimas semanas: o tempo. Com a folga no Brasileirão, em razão dos jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo, ele pôde dar descanso aos seus jogadores e teve tempo para preparar melhor sua equipe para a sequência decisiva da competição nestes nove dias sem jogos.

"Esse período foi muito bom. Pudemos fazer trabalhos mais longos que o normal. Em dois períodos diminuímos a quantidade de treinamentos e fizemos muitos trabalhos táticos e também trabalhos técnicos específicos por posição", destacou Jorginho.

O Vasco soma 27 pontos e segue em 19º lugar. A Chapecoense tem situação mais favorável, com seus 34 pontos, na 14ª colocação, três acima da temida zona de rebaixamento.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVascoJorginho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.