Divulgação
Divulgação

Jorginho lamenta 'jogo atípico' e nega abatimento no Vasco

'Nossa equipe tentou se organizar e manteve a posse sem os 11'

Estadão Conteúdo

23 de agosto de 2015 | 09h29

Depois de uma animadora vitória no meio de semana sobre o Flamengo na Copa do Brasil, o Vasco voltou a decepcionar sua torcida no último sábado, ao cair diante do Goiás por 3 a 0 no Serra Dourada, pelo Campeonato Brasileiro. Em seu segundo jogo no comando da equipe, o técnico Jorginho lamentou o resultado, mas avaliou que tratou-se de um "jogo atípico".

"Foi um jogo atípico, pois tomamos um gol em poucos minutos e perdemos um jogador muito rápido. É importante frisar que a nossa equipe tentou se organizar e manteve a posse de bola sem os 11 jogadores. Mesmo diante de um quadro pessimista, o nosso time conseguiu se manter unido e foi comprometido com a parte tática. Tentamos igualar a forma de jogar Goiás de todas as formas possíveis", declarou.

De fato, o Goiás saiu na frente logo aos quatro minutos e viu o adversário ficar com um jogador a menos, após a expulsão de Jorge Henrique, aos 19. Até por isso, Jorginho ponderou ao analisar a partida e garantiu que não haverá abatimento, apesar do Vasco ocupar a lanterna da tabela, agora a nove pontos do primeiro time fora da zona de rebaixamento.

"Temos um objetivo claro, que é livrar o Vasco dessa situação. Perdemos um jogo, mas ainda faltam 18. Temos que lutar contra o pessimismo, trabalhar duro e manter o grupo focado para que possamos sair dessa situação. É importante também nos mantermos equilibrados na questão emocional e tática. A equipe hoje, apesar de tudo, conseguiu se manter organizada. Vamos olhar com clareza para o que aconteceu e evitar os erros nas próximas partidas. Precisamos nos manter otimistas e dar um passo de cada vez. Dessa forma, iremos atingir o nosso objetivo", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoVascoJorginho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.