Bruno Corsino ACG
Bruno Corsino ACG

Jorginho critica Abel Ferreira após bate-boca: 'Desrespeita nosso país e os árbitros brasileiros'

Técnico do Atlético-GO repreende postura do treinador português do Palmeiras depois de desentendimento no segundo tempo da vitória palmeirense por 4 a 2

Redação, Estadão Conteúdo

17 de junho de 2022 | 08h43

O técnico Jorginho, do Atlético-GO, criticou Abel Ferreira em coletiva de imprensa nesta quinta-feira, após a derrota por 4 a 2 sofrida pelo time goiano diante do Palmeiras, no Allianz Parque. O treinador atleticano explicava a confusão que ocorreu por volta dos 30 minutos do segundo tempo, entre as duas comissões técnicas, quando adotou um tom bastante duro para repreender a postura do português.

"Não é à toa que não só ele, mas toda a comissão técnica vem sendo expulsa constantemente, porque falta esse tipo de respeito. Você bater palma para o árbitro é sacanear o cara. É uma coisa que me revolta como treinador, como brasileiro, ele vir no nosso país e estar desrespeitando nosso país, desrespeitando nossos árbitros, dizendo que (o árbitro Roman Abatti Abel) é cego, xingando de tudo quanto é nome e nada acontece", disse.

O desentendimento rendeu a expulsão de auxiliares técnicos do Palmeiras e do Atlético. Jorginho se revoltou porque, em sua avaliação, Abel Ferreira era o único em campo que deveria ser punido com o cartão vermelho. O técnico da equipe de Goiás também questionou a atuação do quarto árbitro Thiago Lourenço de Mattos.

"Eu lamento muito o que aconteceu, discussão minha e do meu auxiliar técnico com o pessoal do Palmeiras. Eu acho que sou um cara muito respeitado, principalmente com árbitro, mas eles (comissão de Abel) faltaram com o respeito com o árbitro. Chamou o árbitro de cego, de tudo quanto foi nome, bateu palma. Não aconteceu absolutamente nada, eu relatei isso ao árbitro. Não é justo isso, porque o meu auxiliar técnico tomou um cartão e o auxiliar deles tomou cartão, mas quem deveria ser expulso era o Abel", reclamou.

Jorginho foi além: "Eu o respeito como treinador, tem feito grandes trabalhos, é bicampeão, na Libertadores tem feito um trabalho maravilhoso, mas o respeito também tem de existir comigo, com minha equipe, com o árbitro. Todas as vezes que ele reclama, está dizendo que está dando a favor da gente. Na realidade, é sempre ou normalmente contra a gente. Eu quero deixar muito claro o que aconteceu: nós pedimos uma punição severa e não houve uma punição por parte da arbitragem porque o quarto árbitro não relatou para o árbitro o que o Abel fez."

A derrota desta quinta-feira deixou o Atlético-GO na zona de rebaixamento do Brasileirão, com 13 pontos, em 17º lugar. O Palmeiras, por sua vez, é o líder isolado, com 25 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.