Jorginho pede foco e exibe confiança em trio ofensivo do Vasco

O Vasco chega às semifinais do Campeonato Carioca esbanjando bons números, tanto que está invicto há 21 partidas e assegurou o título da Taça Guanabara no último fim de semana. Agora, porém, o objetivo é maior: faturar o bicampeonato estadual. Para isso, o técnico Jorginho aposta em treinos intensos durante a semana e no trio ofensivo formado por Nenê, Riascos e Thalles, responsável por boa parte dos 26 gols que o time marcou na competição.

Estadão Conteúdo

22 de abril de 2016 | 11h52

"Isso é fruto do nosso treinamento e da disposição dos jogadores, que estão obedientes e fazendo tudo aquilo que estamos pedindo. Realizamos um trabalho hoje preocupados com a questão defensiva e ofensiva. Quando se tem tempo para treinar, conseguimos tornar a equipe mais equilibrada. Coisa que ano passado, por mais que quiséssemos, era mais difícil. Hoje nós temos esse tempo. Os jogadores de ataque adquiriram a confiança no próprio futebol também. Com eles assim, o time ganha coisas boas. Criamos possibilidades, situações de jogo. Criando linha de passe para penetrar e fazer os gols", afirmou.

Em sua última entrevista coletiva antes do clássico com o Flamengo pelas semifinais, marcado para o próximo domingo em Manaus, Jorginho voltou a minimizar a invencibilidade do Vasco. E o treinador pediu para seus jogadores esquecerem a vantagem do empate, mantendo o foco no difícil duelo com o rival para que o time siga no rumo de mais uma conquista.

"Atuar no nível Vasco é ser protagonista, buscar o resultado o tempo todo, marcar forte. Com sangue nos olhos e vibrando realmente em todo momento. É decisão. Decisão você tem que entrar assim. Organizado também, é claro. Não podemos esquecer a parte tática. Eu quero meus jogadores concentrados completamente. Nossa maior motivação não é a invencibilidade. Temos motivação da vantagem, para fazer um grande jogo e ir para a final. O principal de tudo mesmo é uma conquista de título", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.