Jornais de Inglaterra e Itália destacam Costa Rica surpreendente

Enquanto ingleses lamentam precoce eliminação, italianos mostram esperança com classificação no último jogo do grupo, com o Uruguai

O Estado de S. Paulo

20 de junho de 2014 | 15h28

 Sem beijo na rainha, diz o italiano Corriere delo Sport sobre a derrota que classificou a Costa Rica e deixou a seleção de Balotteli, que havia prometido um beijo na Rainha britânica, a depender do resultado na terceira rodada para se garantir nas oitavas de final da Copa do Mundo.

O reino de Elizabeth II, que não tem mais chances de ver a taça da Copa do Mundo nas mãos de seus jogadores, também ganha destaque na imprensa internacional, da Itália, da Costa Rica e da Grã-Bretanha. 

O The Guardian destaca a ausência da seleção inglesa numa segunda fase da Copa pela primeira vez desde 1958, graças ao placar dos companheiros de grupo, definido como 'chocante' pela publicação. 

O The Telegraph fala em Costa Rica surpreendente e comenta sobre a permanência de Roy Hodgson como técnico da seleção inglesa depois da eliminação precoce. "Hodgson foi informado nesta sexta de que não será cortado se a Inglaterra falhar em bater a Costa Rica no jogo final do grupo", informa o diário em reportagem. 

Outro portal esportivo italiano, a Gazzetta dello Sport classifica a derrota da seleção como desastrosa e destaca o drama de Balotelli com o resultado. Evidencia, ainda, que basta apenas um empate diante do Uruguai para a Itália se posicionar como segunda do grupo e avançar às oitavas. 

No costarriquenho Al Día, a manchete é toda para a seleção nacional, time que 'surpreendeu o mundo' e 'fez sua proeza'. O autor do gol da vitória, Bryan Ruíz, é o grande herói da classificação e já entrou para a história. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.