Divulgação
Divulgação

José Eduardo Mesquita Pimenta inicia campanha para eleição do São Paulo

'Precisamos levar o clube a um novo patamar de gestão', diz

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

03 Fevereiro 2017 | 16h30

José Eduardo Mesquita Pimenta já começou a sua campanha para ser novamente presidente do São Paulo. Ele vai concorrer na eleição contra o atual mandatário, Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, e Roberto Natel, que foi vice-presidente de Leco e saiu da gestão em setembro justamente para ser candidato.

"Decidi me candidatar à presidência do São Paulo porque entendo que precisamos levar o clube a um novo patamar de gestão. Quero unir a instituição para trilharmos esse caminho. Serei um candidato de convergência em torno de ideias. O novo estatuto é um marco e aplicá-lo corretamente será minha linha de conduta", afirmou Pimenta, via assessoria de imprensa.

Ele foi presidente do São Paulo entre os anos 1990 e 1994, um período de grandes conquistas em campo, como o bicampeonato mundial interclubes e da Copa Libertadores, o Campeonato Brasileiro de 1991, entre outros feitos. Também passou por polêmicas no clube ao ser acusado de pedir comissão em uma transferência de jogador.

O caso culminou em sua expulsão do Conselho Deliberativo do São Paulo. Dois anos depois, ele apresentou em sua defesa um laudo feito por um laboratório da Unicamp que comprovava que a gravação que o incriminava havia sido manipulada e o conteúdo não era original. Com isso, ele foi readmitido no Conselho.

"Fico extremamente honrado em liderar uma candidatura que agrega várias alas políticas em busca do melhor para o São Paulo: uma gestão moderna, profissional, transparente e vitoriosa. Precisamos voltar a ser protagonistas novamente, conquistando os títulos e as glórias que sempre foram a marca do clube", disse Pimenta.

A candidatura do ex-presidente foi definida na última quinta-feira, após reunião da oposição. Para apoiar Pimenta, José Roberto Ópice Blum retirou a sua candidatura. Pela situação, Leco tentará um mandato completo de três anos - ele assumiu após a renúncia de Carlos Miguel Aidar. Já Roberto Natel também será candidato após pleitear uma indicação de Juvenal Juvêncio anos atrás, mas que não ocorreu. A eleição será realizada em abril deste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.