Joseph Blatter define as três pragas do futebol

O presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, deu entrevista ao jornal croata "Jutarnji list", publicada na edição desta segunda-feira, na qual fala que as três piores pragas do futebol, hoje em dia, são o racismo, o G-14 (grupo integrado pelos principais clubes europeus) e a corrupção.Na entrevista, Blatter também falou sobre sua candidatura à reeleição e sobre o favoritismo do Brasil para a Copa do Mundo da Alemanha.O dirigente qualifica o racismo de ?insuportável? e diz que o G-14 é a segunda maior praga do futebol atual. ?Com o G-14, ao menos, se pode ter algum diálogo, mas não sei como controlar e erradicar o racismo?, disse o dirigente, que desmente ter anunciado uma ?guerra mundial? contra o grupo de clubes europeus de elite.?Não usei o termo guerra mundial, mas sei de onde veio isso. Em uma coletiva de imprensa em Túnis, falamos sobre o G-14, que na realidade é G-18, já que reúne 18 clubes. Então, um jornalista associou os números 14 e 18 e disse: ?São os números de início e fim da Primeira Guerra Mundial?. Eis aí o jornalismo moderno?, reclamou Blatter.?As metas do G-14 são mais dinheiro e uma liga profissional independente, como a NBA. A Uefa fez muito para melhorar a Liga de Campeões. As 32 equipes participantes repartem 80% do arrecadado, mas o G-14 quer tudo para si, já que seus clubes gastam demais com seus jogadores?, continua. ?É uma loucura o que lhes pagam. Agora, pedem cem por cento do marketing. Se isso acontecer, o futebol perderá sua base. Por isso, ou estão conosco ou estão fora (da Fifa e da Uefa)?.Quanto à corrupção, ele contou: ?Recentemente, recebi uma delegação de Portugal que se queixava de que vários políticos e empresários forçam a convocação do goleiro Vítor Baía, do Porto, para a seleção portuguesa, embora o treinador não o queira. Os poderosos, porém, insistem que vá ao menos como terceiro goleiro, para poderem vendê-lo por preço maior?.Blatter confirmou que vai tentar a reeleição e falou sobre a seleção brasileira na Copa: ?Parreira tem craques, mas não é certo que tenha um conjunto. Um exemplo disso é o meu time do coração, o Real Madrid, que, como o Brasil, tem muitos craques, mas é a prova de que onze Pelés não são garantia para formar uma boa equipe?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.