Josué se transformou em "intocável"

Josué está há quatro meses no São Paulo, depois de sete anos de Goiás. Ganhou o seu primeiro título e tem certeza de ter garantido também um lugar no cenário nacional. "Quando você vem para um grande centro como São Paulo ou Rio, está sujeito a tudo. Pode jogar mal e vão dizer que você não tem futebol para time grande. E pode jogar bem e ganhar espaço. Acho que estou no segundo caso."Para a torcida do São Paulo, não há dúvida. Um dos lances mais aplaudidos da partida foi no segundo tempo, quando desarmou, sem falta, a Robinho. "Aquela foi legal, não foi?"Josué não foi apenas defesa. Como sempre, apoiou bastante, criando algumas boas chances de gol. Apesar disso, ele acha que foi mais comedido. "Sem dúvida. Se a gente tomasse um gol, tudo poderia ficar mais difícil. Não sei se a gente jogou com o regulamento, como o pessoal está dizendo, mas fomos conscientes."O volante não está feliz apenas pelo título. Não via a hora de chegar em casa para lamber a cria: o filho Kauã, de 20 dias. "É muito legal ganhar uma criança assim. Estou muito alegre com tudo isso". E para completar, Josué fez um pedido a Leão. "Ele é o grande responsável pelo nosso título e precisa continuar com a gente para que este grupo ganhe outros campeonatos."Com ele como titular, parece lógico. Josué ganhou a posição logo na chegada do Goiás. Participou de 15 jogos na temporada e fez quatro gols. Ficou fora apenas durante o período de 15 dias em que sofreu com um estiramento muscular. Se alguém for poupado contra a Ponte Preta para que tenha totais condições contra o Quilmes no dia 13, Josué não quer ser um deles. "Acho que estou muito bem. No Goiás, fazia cinco gols por ano, nunca dava mais do que isso, e agora já fiz quatro em poucos meses. A intenção é melhorar cada vez mais e ir com tudo para a Libertadores. Não quero saber de ser poupado, não. Quero jogar sempre."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.