Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Jovens não abrem mão da Copa América

Enquanto alguns astros da seleção deverão pedir dispensa do grupo que participará a Copa América do Peru, entre os dias 6 de 25 de julho, os jogadores em ascendência no grupo nem cogitam a hipótese de ficar fora da disputa. O meia Juninho Pernambucano, os volantes Edmílson e Júlio Baptista, além do zagueiro Luisão, foram unânimes em frisar o desejo de trocar as férias pelas partidas do torneio continental. "O cansaço a gente supera. Joguei 60 partidas esse ano, somente pelo campeonato francês foram 36, das 38 da competição.Mas, estou preparado", afirmou Edmílson, que assumiu a titularidade no meio-de-campo da seleção. "Mesmo assim, ainda teremos uns dez dias para descansar antes da Copa América e será suficiente." Juninho Pernambucano, outro que conquistou recentemente a vaga de titular na seleção, também não quer deixar espaço para os companheiros. Ressaltou que está à disposição de Parreira e refutou a possibilidade de pedir dispensa do grupo. Autor do gol de bicicleta contra a Catalunha e vice-artilheiro do Campeonato Espanhol, Júlio Baptista também não quer deixar a seleção. O jogador foi um dos principais destaques e muito elogiado pelo técnico da seleção, Carlos Alberto Parreira, após os amistosos contra a Hungria, França e Catalunha. "O cansaço não vai ser empecilho, basta o professor (Parreira) me chamar." Após as duas partidas contra a França e a Catalunha, Luisão conquistou a confiança de Parreira, que não escondeu o sentimento, após o desembarque da seleção, nesta quarta-feira pela manhã, no Aeroporto Internacional do Galeão. O jogador do Benfica está sendo apontado como o próximo atleta a obter uma vaga entre os titulares. "Quero disputar a Copa América. É só o Parreira me chamar que vou", frisou Luisão, lembrando que a competição poderá ajudá-lo a permanecer no time. "É uma oportunidade de mais uma vez mostrar minhas qualidades e que posso estar no grupo." Apesar de não manter-se alienado ante a disputa dos atletas, que considerou saudável, Parreira se negou a falar sobre Copa América. O treinador afirmou que somente pensará na competição, após as partidas contra a Argentina e Chile.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.