Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Juan rebate vice de futebol e cita GPS para provar que Flamengo não correu menos

Zagueiro questiona Ricardo Lomba, que criticou o rubro-negro após derrota para o Botafogo

Estadão Conteúdo

04 de abril de 2018 | 19h26

O experiente zagueiro Juan foi o primeiro jogador a falar no Flamengo desde a eliminação para o Botafogo há uma semana pela semifinal do Campeonato Carioca. Nesta quarta-feira, o jogador de 39 anos tentou explicar toda a polêmica que aconteceu nos bastidores do clube nos últimos dias.

+ Carpegiani critica demissões 'precipitadas' do Fla e diz: 'Ficha ainda não caiu'

Horas após a derrota por 1 a 0 para o Botafogo, o vice de futebol do Flamengo, Ricardo Lomba, disse que o time correu menos que o rival e afirmou que seria preciso mudanças. No dia seguinte, o técnico Paulo César Carpegiani e todo departamento de futebol foi demitido.

Foi especulado que os jogadores do Flamengo teriam se irritado com as declarações do dirigente e solicitado uma reunião. Juan confirmou que houve a reunião, mas a pedido do próprio Lomba.

"Não é verdade que a gente se sentiu ofendido. O Lomba pediu oportunidade para esclarecer o assunto. A reunião foi tranquila a fim de acabar com a polêmica. Alguns jogadores falaram, entre eles eu. O Réver, o Júlio César, os mais experientes deram seu ponto de vista", explicou Juan

Na conversa, o jogador admitiu que a equipe precisa melhorar, mas discordou da crítica de que os jogadores estavam correndo menos. "Temos que aceitar a hierarquia. Como vice-presidente, ele tem direito de fazer críticas, mas a gente não concordou que o time estava correndo menos. Até porque estávamos sendo monitorados por GPS. E os dois jogos que ele citou (pelo Estadual), o GPS registrou que corremos mais, por exemplo, do que na partida contra o Emelec", justificou.

A partida contra o Emelec foi pela segunda rodada da Libertadores e o Flamengo venceu fora de casa por 2 a 1. A atuação recebeu elogios dos dirigentes. "Volto a repetir. A gente não pediu uma reunião. Partiu dele para esclarecer esse assunto. Já tiveram outras desse nível, de cobrança. Diferentemente do que pensam, a gente se cobra muito. A cada mau resultado, a cada mau desempenho."

Enquanto não define um substituto para Carpegiani, o interino Maurício Barbieri tem comandado as atividades na Gávea. Também foram demitidos no Flamengo o diretor de futebol Rodrigo Caetano, o gerente Mozer, o preparador físico Marcelo Martorelli e os auxiliares Rodrigo Carpegiani e Jayme de Almeida.

O Flamengo só voltará a campo oficialmente no dia 14, na estreia do Campeonato Brasileiro, contra o Vitória. Antes, o time rubro-negro disputará um amistoso no sábado, contra o Atlético-GO, em Goiânia.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFlamengoJuan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.