Juiz adia primeira audiência entre o Vasco e Leandro Amaral

Leydomir Lago alegou não poder conduzir a sessão por ter ligações familiares com o Fluminense

14 de janeiro de 2008 | 18h32

A primeira audiência na Justiça Trabalhista entre o atacante Leandro Amaral e o Vasco, seu ex-clube, prevista para a tarde desta segunda-feira, foi adiada. O juiz Leydomir Lago, da 66.ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, alegou não poder conduzir a sessão por ter ligações familiares com o Fluminense, clube atual de Leandro Amaral. O caso será designado para outra vara. Na saída do tribunal, cerca de 15 torcedores vascaínos hostilizaram Leandro, a quem chamaram de mercenário, e atiraram moedas contra ele. No início do ano, o atacante conseguiu uma liminar para se desvincular do Vasco e acertar contrato com o Fluminense. O clube de São Januário havia exercido uma cláusula de renovação automática de contrato, sem dar direito ao jogador de ouvir outras propostas. Língua afiada Bem ao seu estilo, o treinador-jogador Romário não economizou nas palavras para definir a atual situação do Vasco. "Reforços de impacto não vão acontecer. Não temos dinheiro", disse, durante o desembarque da equipe no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, no Rio.  O Vasco chegou nesta segunda-feira dos Emirados Árabes, onde ficou em segundo lugar no Torneio de Dubai - conseguiu uma vitória e uma derrota. "Vamos para o Campeonato Carioca com o que temos. Somos os mais fracos entre os quatro grandes, mas futebol se ganha dentro de campo", completou Romário.

Tudo o que sabemos sobre:
VascoLeandro AmaralFluminense

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.