Juiz ajuda e Cabofriense bate o Vasco

O Vasco perdeu neste domingo por 3 a 2 para a Cabofriense e ficou em situação difícil no Grupo A da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca. O jogo foi disputado em Cabo Frio e teve um segundo tempo eletrizante - todos os cinco gols e vários outros lances de perigo ocorreram nessa etapa. A Cabofriense apresentou um futebol mais envolvente, mas acabou beneficiada pela arbitragem, que validou dois gols irregulares para a equipe.O Vasco esteve melhor no primeiro tempo e desperdiçou algumas oportunidades. Alex Dias perdeu dois gols, um deles a menos de um metro da linha do gol, sem marcação. O lateral-esquerdo Ricardinho criou ótimas jogadas pelo Vasco e por pouco não deixou sua marca. A Cabofriense tentava surpreender nos contra-ataques. Esbarrava, porém, nos erros de passe do time. O técnico Paulo César Gusmão chamou a atenção dos atletas da equipe da casa no intervalo e obteve resposta.A Cabofriense voltou para o segundo tempo com muita aplicação e um entusiasmo fora do comum. Com quatro minutos, já desperdiçara três boas oportunidades. Num lance rápido, o Vasco abriu o placar, aos 7 minutos, num chute forte de Marco Brito. Logo depois, a bola bateu no braço de Coutinho dentro da área e o árbitro assinalou pênalti. Têti cobrou bem, aos 10, e empatou. A Cabofriense virou o placar aos 25, por meio do zagueiro Leandro, que completou para o gol em impedimento.Aos 35, Marco Brito, de pênalti, empatou para o Vasco. O visitante parecia esboçar uma reação, quando, aos 41, Joãozinho fez um belo gol, numa finalização precisa de fora da área, sem defesa para o goleiro Cássio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.