AFP
AFP

Sandro Meira Ricci não apita mais na Copa América

Brasileiro teve atuação polêmica na partida Chile x Uruguai

ALMIR LEITE E GONÇALO JUNIOR, ENVIADOS ESPECIAIS A SANTIAGO, Estadão Conteúdo

25 de junho de 2015 | 11h33

A polêmica atuação do árbitro Sandro Meira Ricci na vitória do Chile sobre o Uruguai, na noite desta quarta-feira, em Santiago, deve ter sido sua última na Copa América. A pressão dos dirigentes uruguaios e a análise dos lances do jogo foram decisivos para que a Comissão de Arbitragem da Conmebol decidisse não mais escalar o árbitro na sequência da Copa América.

Não foi uma exclusão oficial, mas o órgão vai argumentar que não haverá repetição de juízes nos próximos jogos do torneio. A informação foi confirmada por um membro da Comissão Disciplinar da Conmebol. Sandro Meira Ricci estava na Copa do Mundo de 2014.

Os uruguaios criticaram duramente a arbitragem por causa das duas expulsões, especialmente a do atacante Edinson Cavani, que foi provocado pelo zagueiro Gonzalo Jara com uma 'mão boba' antes de revidar com um tapa no rosto do chileno. Ricci expulsou apenas Cavani porque não viu a provocação nem teve a ajuda de seus auxiliares.

O uruguaio Wilmar Valdez, presidente da Associação Uruguaia de Futebol (AUF) e vice-presidente da Conmebol, classificou a atuação do brasileiro como "vergonhosa", assim como o gesto do jogador do Chile. "Eu vi o que fez o jogador chileno no Cavani. Na verdade, é humilhante, muito pior do que a mordida de Suárez na Copa do Mundo. Literalmente, fez um exame retal. Foi terrível. Não pode ser que isso aconteça no futebol", disse Rafael Fernández, vice-presidente da AUF.

Por causa da expulsão e das agressões verbais ao árbitro brasileiro, Cavani pode ser suspenso por mais de um jogo nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 - a equipe uruguaia ainda não poderá contar com Suárez em duas partidas do qualificatório por causa da mordida em Chiellini no Mundial de 2014. Nas semifinais, o Chile aguarda agora o vencedor do confronto entre Bolívia e Peru, nesta quinta-feira, às 20h30 (de Brasília), em Temuco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.