Juiz dá 25 dias de férias aos jogadores

Os jogadores dos clubes paulistas que disputaram a Série A do Campeonato Brasileiro só poderão voltar a treinar a partir de 14 de janeiro. Nesta sexta-feira, o juiz Marcio Granconatto, da 2ª Vara do Trabalho, concedeu liminar ao Sindicato dos Atletas do Estado de São Paulo estabelecendo 25 dias de inatividade para os jogadores. Os clubes deverão recorrer da decisão.Antes de conceder a liminar, Granconatto marcou audiência de conciliação, mas, depois de quatro horas, o sindicato e os advogados dos clubes não chegaram a um acordo."Foi uma vitória importante para a classe dos jogadores. O juiz entendeu que as férias coletivas são um direito do atleta", disse Rinaldo Martorelli, presidente do sindicato, que representou a entidade na audiência, ao lado do advogado Eduardo Novais.A proposta inicial do sindicato era adiar o início do Campeonato Paulista, marcado para 19 de janeiro, mas a Federação Paulista de Futebol não concordou porque a tabela já está pronta e os direitos de transmissão foram comercializados. Dessa forma, os clubes terão apenas cinco dias de treinos para a estréia na competição, a não ser que a liminar seja cassada.O presidente da FPF, Marco Polo del Nero, disse que não recorrerá da decisão, já que as datas do campeonato foram mantidas. "Agora, o assunto ficará na esfera dos clubes."De acordo com a liminar, os times que disputaram o Brasileiro também não poderão inscrever atletas na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Segundo Marco Polo, isso não deverá afetar o tradicional torneio: "A Copa São Paulo de Juniores é uma competição para revelar jogadores. Dessa forma, a ausência dos jogadores que atuam no time de cima não vai prejudicar o torneio."Martorelli atribui ao apoio que recebeu dos atletas a ação do sindicato. "Estamos quebrando com o regime ditatorial que os jogadores sempre foram obrigados a obedecer."Para o presidente do sindicato, a próxima fase é saber como poderá fiscalizar os clubes até 14 de janeiro. "Estaremos atentos a qualquer tentativa de burlar a lei. Os jogadores não poderão voltar a treinar antes da data marcada", ameaçou Martorelli. E acrescentou: "Não acredito que os clubes consigam cassar a liminar. Não há argumentos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.