Juiz dá pênalti, Ronaldo marca e Corinthians lidera

No sufoco e como a torcida gosta. Com gol de Ronaldo em pênalti polêmico, aos 43 minutos do segundo tempo, o Corinthians bateu o Cruzeiro por 1 a 0 na noite deste sábado, no Pacaembu, e assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro. Com 63 pontos, agora tem dois a mais do que o Fluminense, que neste domingo enfrenta o Goiás no Rio de Janeiro, contra 60 do time mineiro.

RAFAEL VERGUEIRO, Agência Estado

13 de novembro de 2010 | 22h12

A vitória corintiana na 34.ª rodada acabou sendo marcada por uma grande polêmica. Os cruzeirenses não se conformaram com a marcação da penalidade máxima e protestaram muito. Revoltado, o técnico Cuca pediu para a equipe abandonar o gramado. Fabrício foi o único que cumpriu a ordem e deixou o jogo antes do apito final. Wallyson ainda teve tempo de entrar no lugar do colega.

Na visão do árbitro Sandro Meira Ricci, o zagueiro Gil cometeu falta sobre Ronaldo. Em seguida, Gil, revoltado e que já tinha cartão amarelo, acabou expulso. Em bola levantada, Ronaldo se chocou com o adversário e caiu. Mesmo com o protesto, o camisa 9 alvinegro cobrou com tranquilidade no canto esquerdo do goleiro Fábio, que caiu para o outro lado, e fazer o gol do triunfo.

A revolta cruzeirense foi tanta que Gilberto acabou sendo expulso depois do término do confronto. O trio de arbitragem só conseguiu deixar o campo cerca de 10 minutos após o apito final. A torcida mineira chiou muito e gritou ?ladrão? até deixar o estádio. Já os corintianos só fizeram festa e nem se importaram com a reclamação.

No confronto deste sábado, o Corinthians entrou em campo com o ataque que atuou contra o São Paulo, superado por 2 a 0 no clássico, com Dentinho e Ronaldo como titulares. Além disso, contou com o retorno de Jorge Henrique, que não atuava há bastante tempo por causa de uma lesão muscular e foi bastante festejado pelos torcedores corintianos, tanto quando anunciado no banco de reserva e como quando entrou no segundo tempo, no lugar de Bruno César.

Já Cruzeiro contou com o artilheiro Wellington Paulista e Gilberto, que retornou à ala esquerda. E, forte na marcação, o time mineiro pressionava o Corinthians em seu campo e quase abriu o placar aos 14 minutos, quando Thiago Ribeiro ficou cara a cara com Júlio César e tentou encenar um pênalti, não marcado pelo juiz.

O Corinthians conseguiu equilibrar as ações a partir da metade do segundo tempo, mas sofria para chegar ao ataque. E, quando chegou, Ronaldo e Elias não souberam aproveitar as chances que tiveram.

Já no segundo tempo, em que a tensão dos dois times era evidente, as chances de gol passaram a ser mais raras. Dentinho e Elias, em chutes de fora da área, assustaram o goleiro Fábio, enquanto Wellington Paulista desperdiçou ótima oportunidade ao receber livre na área e chutar para Júlio César fazer boa defesa.

E, quando o placar parecia caminhar para o 0 a 0 e Danilo já havia sido colocado no lugar de Dentinho, o juiz marcou o pênalti discutível em cima de Ronaldo, que bateu com tranquilidade para marcar, aos 43 minutos do segundo tempo. Gol polêmico, que garantiu o Corinthians no topo da tabela.

FICHA TÉCNICA:

Corinthians 1 x 0 Cruzeiro

Corinthians - Júlio César; Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos (Leandro Castán); Ralf, Jucilei, Elias e Bruno César (Jorge Henrique); Dentinho (Danilo) e Ronaldo. Técnico: Tite.

Cruzeiro - Fábio; Jonathan, Léo, Gil e Gilberto; Fabrício (Wallyson), Henrique, Marquinhos Paraná e Montillo (Roger); Thiago Ribeiro e Wellington Paulista (Farías). Técnico: Cuca.

Gol: Ronaldo, aos 43 minutos do segundo tempo.

Juiz: Sandro Meira Ricci (DF).

Cartões amarelos: Thiago Ribeiro, Bruno César, Gil, Dentinho, Gilberto.

Cartão vermelho: Gil.

Público: 35.935 pagantes.

Renda: R$ 1.279.352,50.

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.