Juiz erra e Corinthians só empata

O técnico Daniel Passarella teve uma prova, neste domingo, que as bruxas existem, conforme ele havia brincado na sexta-feira. O Corinthians empatou com o Ituano por 0 a 0, no Pacaembu, e seu time sofreu com a má sorte e a incompetência do juiz, que anulou um gol legítimo de Tevez. Além disso, Bobô perdeu chances e dois jogadores sentiram contusões musculares (Coelho e Gil) e se tornaram dúvidas para o jogo mais importante do primeiro semestre ? contra o Cianorte, quarta-feira, no Pacaembu, pela Copa do Brasil. O Timão precisa ganhar por quatro gols de diferença para seguir na competição. No Paraná, perdeu por 3 a 0.Passarella aproveitou para fazer testes no time. Na frente, optou por Bobô. Descansou o argentino Sebá e colocou Marinho. Marcelo Mattos e Hugo também foram poupados e deu mais uma chance para Wendel e Roger.Com um time mais técnico e ofensivo ? afinal, eram dois meias habilidosos (Carlos Alberto e Roger) e dois atacantes velozes (Tevez e Bobô) ?, a expectativa de Passarella era encontrar o caminho dos gols, um treino para a partida contra o Cianorte, quando o Corinthians precisa vencer por quatro gols de diferença.Porém, mal começou o jogo, Coelho sentiu uma fisgada na coxa direita e Passarella foi obrigado a fazer a primeira substituição: trocou o lateral por Rosinei. O Corinthians começou pressionando e o sistema defensivo do Ituano mostrou que não brinca em serviço. Em pouco mais de um minuto, Tevez havia sofrido duas faltas, uma demonstração que o argentino seria marcado de perto.Melhor para Bobô que teve mais espaço para jogar. Foram dele as duas melhores chances do primeiro tempo: uma aos 32 minutos, quando Bobô ficou cara a cara com o goleiro André Luís, que fechou o ângulo e garantiu a defesa. No segundo lance, aos 42, Bobô venceu um marcador na corrida e chutou para nova defesa do goleiro do Ituano.No segundo tempo, Tevez foi protagonista do lance mais polêmico da partida. Aos 5 minutos, Carlos Alberto cruzou para a área e Tevez, de cabeça, concluiu sem chances para André Luís. Tevez já fazia a homenagem à sua filha Florencia, que nasceu na sexta-feira ? colocou uma chupeta na boca ?, mas o juiz Marco Antônio de Oliveira Sá anulou alegando toque de mão do argentino que só ele viu.Depois, as coisas foram se complicando. Roger, exausto, pediu para sair. Entrou Hugo. Em seguida, Passarella preferiu poupar Tevez. Tirou o atacante e pôs Gil. Os 7.559 torcedores começaram a vaiar o treinador e chamá-lo de ?burro?.E foi uma má substituição. Gil sentiu uma contusão muscular na coxa direita e voltou para o banco. Como Passarella já havia realizado as três substituições regulamentares, o time jogou os últimos 15 minutos com um jogador a menos. O empate ficou de bom tamanho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.