Juiz independente de comitê da Fifa abre procedimento contra Blatter e Platini

Designado pela própria Fifa para julgar os escândalos de corrupção que ameaçam a entidade, o juiz Hans-Joachim Eckert decidiu abrir procedimento contra o suíço Joseph Blatter e o francês Michel Platini. Os presidentes da Fifa e da Uefa, respectivamente, já estão suspensos de forma provisória, por 90 dias, desde o início de outubro.

Estadão Conteúdo

23 Novembro 2015 | 14h30

Eckert deu início ao procedimento formal contra os dois dirigentes após analisar o relatório elaborado pelo Comitê de Ética da Fifa. No documento, finalizado no fim de semana, a entidade pede punição a Blatter e Platini por causa do suspeito pagamento de US$ 2 milhões do suíço ao francês, em 2011.

O valor se referia a serviços prestados por Platini à Fifa entre os anos de 1998 e 2002. De acordo com os dirigentes, não há irregularidades no pagamento. Blatter disse não ver ilegalidade em um contrato verbal pela execução do serviço, que seria um trabalho de consultoria de Platini.

Assim como fez o Comitê de Ética, o juiz Eckert não revelou as conclusões do relatório. Justificou que não poderia fornecer informações sobre o caso por causa da privacidade e da presunção de inocência, até que se prove o contrário. "Por isso não serão publicados os detalhes sobre as punições pedidas pelo comitê", informou Eckert em comunicado.

O juiz disse ainda que tanto Blatter quanto Platini serão convocados para se defender ao longo do procedimento. E revelou que pretende apresentar uma decisão oficial sobre os dois dirigentes em dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.