Juíza determina novo afastamento de Rubens Lopes da Ferj

A juíza Márcia Cunha, da 7.ª Vara Empresarial do Rio, determinou nesta sexta-feira o afastamento de Rubens Lopes de qualquer cargo diretivo da Federação de Futebol do Estado do Rio (Ferj). Em caso de desobediência da ordem judicial, a Ferj e o dirigente terão de pagar multa diária de R$ 10 mil cada um. A decisão atendeu a pedido de liminar feito pelo Ministério Público Estadual. O MP alega que Rubens Lopes descumpriu decisão judicial e vem ocupando o poder na federação irregularmente, além de ter sido escolhido em tumultuada assembléia realizada no último dia 12, que não teria valor jurídico. A juíza determinou ainda que, no prazo de 24 horas, a federação faça constar em sua página na Internet que Rubens Lopes não é seu presidente, incluindo o nome do interventor judicial José Teixeira Fernandes como seu representante e a circunstância da intervenção, sob pena também de multa diária de R$ 10 mil. Além de ser afastado da direção da federação, Rubens Lopes não poderá circular por suas dependências, pois, segundo a juíza, ?não possui qualquer vínculo jurídico com a entidade e sua presença física é prejudicial à administração, enquanto durar a intervenção judicial?. ?Mesmo que fosse revalidada a assembléia, a eleição ali deliberada não pode ser validada, pois Rubens Lopes compunha a diretoria afastada judicialmente como vice-presidente, de modo que não pode ser escolhido para substituir a si próprio nesse mandato-tampão?, disse Márcia Cunha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.