Reprodução
Reprodução

Juíza que ordenou a prisão de corintianos torce para o Flamengo e é ameaçada nas redes

Torcedores divulgam a foto de Marcela Caram com a camisa do time rubro-negro ao lado do marido e filho

Andreza Galdeano, O Estado de S.Paulo

27 Outubro 2016 | 15h55

Os episódios da confusão entre torcedores corintianos e policiais no Macaranã está longe do fim. No domingo, após a partida entre Flamengo e Corinthians, a juíza Marcela Assad Caram, coordenadora da Central de Audiências de Custódia do Tribunal de Justiça do Estado do Rio, ordenou a prisão dos envolvidos no tumulto. Nas redes sociais, a torcida faz ameaças após descobrir que a juíza torce para o time rubro-negro.

A foto divulgada na internet mostra Marcela Caram ao lado do marido e filho, todos com a camisa do Flamengo. Os torcedores questionam a decisão da juíza, que converteu em preventiva a prisão em flagrante de 31 corintianos. "Vai dizer que não é coincidência?", "isso é uma vergonha", "a polícia abusou", comentam os internautas alvinegros.

Os corintianos presos passaram o domingo na Cidade da Polícia e foram encaminhados ao Complexo de Gericinó, em Bangu, onde estão sem previsão de saída. Todos foram colocados em uma ala separada dos demais presos. Nesta quinta-feira, a Justiça do Rio de Janeiro negou o habeas corpus que pedia a soltura do detidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.