Júlio Baptista deve deixar o Sevilha

As novas regras da Fifa, que entraram emvigor na sexta-feira, podem forçar a saída do atacante JúlioBaptista do Sevilha, reconheceu nesta terça-feira o presidente do clube, José María del Nido. O dirigente lembrou que esta regulamentação dá direito a qualquer jogador de solicitar à Fifa a rescisão unilateral de seu contrato eque o organismo internacional fixe uma quantia de indenização para oclube após a terceira temporada na equipe, o que aconteceria em 30de junho de 2006 no caso de Júlio Baptista. O dirigente voltou a dizer que o Sevilha não quer vender JúlioBaptista, e que a intenção é a de ampliar seu contrato, que só termina em 2008. No entanto, ele afirmou que os representantes do jogadorrejeitaram uma oferta que triplica seu atual salário. "O jogador não quer renovar e não podemos colocar uma venda nosolhos com relação a isso", destacou Del Nido, que reconheceu que oArsenal apresentou uma oferta, mas que o Sevilha clqassificou de "irrisória". Outros clubes espanhóis e estrangeiros que também se interessaram pelo atacante. O presidente disse ainda que não existem antecedentes a estasnormas da Fifa e que, portanto, desconhece o valor de uma supostaindenização fixada pelo organismo. No entanto, o dirigente destacou que a quantia estariarelacionada ao salário, às luvas, temporadas na equipe e que lherestam de contrato e à cláusula de rescisão. Com isso, o valorchegaria a 41 milhões de euros. "Vamos esperar os eventos", disse Del Nido, que lembrou que tantoJúlio Baptista como seu compatriota e companheiro de seleção Renatoestão relacionados para se apresentar no dia 18 de julho em Sevilhae juntar-se aos trabalhos de pré-temporada da equipe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.