Júlio César admite falha, mas critica ataque corintiano

Após o Corinthians empatar por 1 a 1 com o Mogi Mirim, na noite da última quarta-feira, fora de casa, pela sexta rodada do Campeonato Paulista, o goleiro Júlio César admitiu que falhou no lance do gol do time adversário, marcado aos 41 minutos do segundo tempo pelo atacante Hernane. Porém, o jogador criticou a ineficiência do ataque corintiano, que não soube aproveitar as oportunidades que teve para garantir a vitória.

AE, Agência Estado

09 de fevereiro de 2012 | 08h48

"Errei, errei, mas não soubemos matar o jogo. A culpa é sempre do goleiro", desabafou o atleta, que deu rebote para Hernane marcar após não conseguir espalmar para fora ou segurar o chute vindo de fora da área.

A indignação de Júlio César também está diretamente ligada ao fato de o Corinthians ter jogado com um jogador a mais em campo desde os 12 minutos do primeiro tempo, quando Edson Ratinho foi expulso ao evitar com a mão o primeiro gol da equipe dirigida por Tite, que em seguida abriu o placar com Emerson cobrando pênalti.

"Faltou a gente matar o jogo. A gente vencia por 1 a 0, mas poderíamos ter acabado com o jogo. Nós tínhamos que ter acabado com o jogo quando tivemos a chance. Tínhamos um homem a mais em campo", ressaltou.

O volante Paulinho, por sua vez, admitiu que a equipe corintiana ficou devendo mais força ofensiva. Acomodado com o placar de 1 a 0, o time jogou de forma lenta e preguiçosa durante a maior parte do confronto da última quarta-feira. "Eu acho que faltou um pouquinho mais. Faltou agredir mais. Nós tínhamos que ir pra cima para fazer o segundo gol", enfatizou.

Castigado com o gol sofrido no final do jogo, o Corinthians encerrou a noite de quarta-feira na vice-liderança do Paulistão, com os mesmos 14 pontos do líder Palmeiras. E nesta quinta-feira corre o risco de ser ultrapassado por São Paulo e Paulista, que têm 13 pontos e enfrentam Comercial e São Caetano, respectivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.