Júlio César nega clima ruim e pede apoio a Tite

Júlio César saiu em defesa do técnico Tite nesta quarta-feira. O goleiro pediu apoio ao treinador, ameaçado no cargo, e negou clima ruim no Corinthians, apesar da sequência negativa no Brasileirão. No sábado, o time saiu vaiado do Pacaembu, após a derrota para o Figueirense.

VÍTOR MARQUES, Agência Estado

24 de agosto de 2011 | 18h59

"O clima entre nós é o mesmo, mas antes a gente ganhava. Aí você fica sorrindo o dia todo. Agora não, você não se sente tão à vontade. O que mudou é que as vitórias não estão vindo", lamentou o goleiro. "Temos de saber que a pressão existe, somos maduros, experientes e a gente sabe que tem de vencer para ganhar moral e dar apoio ao Tite".

Pressionado, Tite desabafou na terça-feira. Pediu calma à torcida e garantiu estar preparado para levar o time ao título. Nesta quarta, ele reuniu jogadores e os principais dirigentes do departamento de futebol para uma conversa antes do início do treino.

Júlio César explicou que não houve bronca do técnico, apenas uma conversa informal. "A conversa que a gente teve ali é semanal, não foi uma conversa especial. Quando se tem derrota é bom conversar e jogar aberto. O Tite não esconde nada da gente, elogia o que tem que elogiar".

O volante Ralf também colocou panos quentes na pressão sobre Tite e pediu calma aos torcedores. "Ainda tem muito a acontecer, mas tem ainda a outra metade do campeonato", comentou, sem esconder a preocupação com os últimos tropeços do time. "O problema são os gols que não estão saindo, temos que estar focados".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansJúlio César

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.