Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Julio Cesar vê adeus 'indescritível' no Fla e diz: 'Espero ter deixado um legado'

Goleiro se despediu do futebol na noite deste sábado, na vitória do Flamengo por 2 a 0 sobre o América-MG

Estadão Conteúdo

22 de abril de 2018 | 10h38

Com uma boa atuação, o goleiro Julio Cesar encerrou a sua carreira profissional na noite do último sábado na vitória por 2 a 0 que o Flamengo conquistou sobre o América-MG, no Maracanã, onde o veterano foi ovacionado pelos torcedores rubro-negros.

Confira a tabela do Campeonato Brasileiro + Dourado marca dois e Flamengo vence o América-MG na despedida de Julio Cesar

Mais notícias do Campeonato Brasileiro

Após o confronto válido pela segunda rodada do Brasileirão, ele agradeceu aos flamenguistas pelo reconhecimento e carinho após uma trajetória profissional que começou no clube carioca e depois viveu o seu ápice com a camisa da Inter de Milão e quando o jogador se consolidou na seleção brasileira, que o atleta defendeu como titular do gol do time nacional nas Copas do Mundo de 2010 e 2014.

"Foi bacana, já esperava essa situação da torcida. Realmente não consigo mensurar na minha cabeça o carinho que a torcida do Flamengo tem pelo Julio Cesar. É indescritível. Só tenho a agradecer a todos que estiveram presentes nesse dia. Gosto sempre de botar o Flamengo acima de tudo e todos. A ideia do jogo hoje era reencontrar a vitória que traz um ambiente leve e favorável para trabalhar. Coincidiu com uma despedida, tive uma participação importante e por isso no calor a torcia gritou: 'Fica Julio Cesar'", afirmou o goleiro, que desta vez conseguiu segurar as lágrimas, derramadas anteriormente nas duas duras eliminações do Brasil nos Mundiais de 2010 e 2014.

O agora ex-jogador de 38 anos de idade também fez questão de agradecer a todos que o ajudaram durante a sua carreira. "A ficha não caiu ainda. Pode ser que daqui a um ou dois dias quando eu olhar para o céu e falar: "E aí, o que eu vou fazer?", a ficha caia. Tá muito recente ainda. Eu quero encontrar a minha família, dar um beijo na minha mãe, que foi a minha inspiração e a pioneira para isso tudo acontecer na minha carreira. Não só ela, tem meu pai, parentes e todos que fizeram coisas boas por mim", ressaltou.

Julio Cesar ainda comemorou o fato de ter finalizado a sua carreira de forma positiva e enfatizou que espera ter servido como uma referência para os mais jovens que buscam ter sucesso como goleiros. "Hoje (sábado) foi um misto de emoções, sem dúvida. Dizer que não pensei em toda história seria hipocrisia da minha parte. Encerrar em um palco como o Maracanã, que foi onde tudo começou para mim, é motivo de orgulho. Vou ser sempre grato ao Flamengo por essa situação. Espero ter deixado um legado", disse.

O veterano zagueiro Juan, que é contemporâneo de Julio Cesar e iniciou com o companheiro a sua trajetória profissional, deu um forte abraço no goleiro depois do final do jogo deste sábado e comemorou o adeus do amigo com vitória.

"Foi emocionante. Sabia que seria assim, mas graças a Deus terminou bem, com uma vitória. Foi uma despedida do jeito que ele mereceu, do nível da carreira dele. Maracanã lotado, com a camisa do Flamengo e em uma grande partida. E foi importante voltarmos a vencer após dois jogos bons, mas nos quais a vitória não veio", festejou.

Aos 39 anos, Juan também disse esperar que os três meses de convivência diária do elenco do Flamengo com Julio Cesar tenham colaborado para o crescimento dos jogadores mais novos. "Espero que principalmente os mais jovens tenham tirado muita coisa dessa humildade dele, do sacrifício que faz para treinar todos os dias e estar pronto para jogar. É uma lição que ele deu a todos do amor que tem pelo futebol. Como ele enxerga a profissão, sempre com seriedade. Sabia que seria assim, mas tinha que ter vivido isso perto desse Flamengo novo, com toda a estrutura que estamos tendo. A contribuição que ele nos deu foi fundamental", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.