Júlio Sérgio não comenta falha de Doni

Os titulares do Santos ganharam um dia de folga e os reservas treinaram normalmente hoje à tarde. Entre eles, estava o goleiro Júlio Sérgio, que perdeu o lugar para Doni e teve seu nome chamado pelos torcedores santistas no jogo de quarta contra o Guarany, inconformados com a falha do titular no primeiro gol paraguaio. E Júlio Sérgio disse que nem chegou a ver essa manifestação. Ele aproveitou o dia de folga, já que nem havia sido relacionado para o banco de reservas, para resolver problemas na Capital e acabou não assistindo ao jogo. "Vi apenas alguns lances, nenhum dos gols e cheguei direto para o treino da tarde", disse ele hoje, em rápida entrevista. Júlio Sérgio se negou a falar a respeito do gol sofrido por Doni e também sobre a situação dos goleiros depois dessa falha. Quando os jornalistas insistiram para que falasse sobre o tema, olhou para todos e disse, rapidamente: "alguém tem outra pergunta?". Mais tarde se desculpou por não tocar no assunto: "é hora de trabalhar, não de falar", comentou. Mas o goleiro revelou que não desiste de sua luta pela condição de titular do Santos. "Todo dia chego para treinar com a intenção de ser titular", disse. Para ele, a situação não pode ser diferente. "Não posso me acomodar com a reserva e, por isso, trabalho forte todo dia e estou em forma para quando surgir nova oportunidade de ser titular". Sobrenome - Para o preparador de goleiros e auxiliar técnico de Leão, Pedrinho Santilli, se fosse outro jogador no lugar de Doni teria sido um lance até normal, sem a repercussão que teve. "Mas ele chegou ao Santos com um sobrenome muito forte, o do Corinthians e sabia que teria de vencer uma barreira e que isso iria atrapalhá-lo". Além de o Corinthians ser o maior rival do Santos, o goleiro esteve envolvido ano passado numa briga no final de um clássico entre os dois times, envolvendo Fabiano, e o clube da Capital acabou levando Fábio Costa, um dos maiores ídolos da torcida, este ano para o Parque São Jorge. "Tudo isso pesou e se fosse outro goleiro naquela hora, nada disso estaria acontecendo". Pedrinho Santilli tem conversado com Doni desde o final do jogo de quarta-feira e revelou que o atleta já estava mais tranqüilo hoje. "Ele ficou abalado, saiu sentido, mas expliquei a ele que não fez nada de errado". Santilli não confirmou, mas Doni deverá ser mantido no gol na partida de sábado contra o Marília, no Parque Antártica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.