Jundiaí vive momentos distintos

A cidade de Jundiaí viveu dois momentos diferentes neste domingo. Desde manhã havia muita movimentação nos arredores do Estádio Jaime Cintra, na expectativa para a grande final do Campeonato Paulista. Mas no começo da noite, após a derrota por 3 a 1, a cidade permaneceu quieta, em silêncio, sentindo o golpe do Pacaembu. Perto de 30 ônibus deixaram a cidade após o almoço. Nem a diretoria sabia ao certo quantos ônibus tinham levado a torcida até São Paulo porque alguns saíram de vários pontos da cidade. O presidente do clube, Eduardo Palhares, lamentou a falta e uma maior participação de empresários da cidade, uma vez que Jundiaí é conhecida por seu um polo industrial. Fica a dúvida de que a primeira derrota vai diminuir o entusiasmo do torcedor. "Nós vamos com o Paulista até o final, sendo campeão ou vice", garante o presidente da Gamor, torcida organizada do clube, o Faustão. Nem ele sabia ao certo quantos torcedores tinham ido ao Pacaembu, mas garante que na sua visão "estava três para um". O líder promete iniciar nova campanha já na segunda-feira à tarde. "Vamos descansar só esta noite. Depois veremos o que poderemos fazer para ajudar o Paulista." De forma geral, a maioria dos torcedores que esteve na capital acredita que será difícil reverter a situação. "Acho que já fomos longe de mais. Valeu pela luta do time", comentou o metalúrgico Reinaldo Pereira Mattos, traduzindo a opinião de muitos companheiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.