Marcelo Sadio/Divulgação
Marcelo Sadio/Divulgação

Juninho diz que Dinamite evitou a sua aposentadoria

Jogador de 38 anos rescindiu o seu contrato com o New York Red Bull e foi convencido a ajudar o Vasco no Brasileirão

AE, Agência Estado

12 de julho de 2013 | 15h53

RIO - Apresentado oficialmente como reforço do Vasco para a sua terceira passagem pelo clube, Juninho Pernambucano confirmou nesta sexta-feira que o presidente do clube, Roberto Dinamite, evitou o que seria o fim de sua carreira como jogador profissional. O meio-campista de 38 anos rescindiu o seu contrato com o New York Red Bull, dos Estados Unidos, após um desentendimento com o treinador da equipe, dois anos mais jovem do que ele.

"Eu tinha combinado com o preparador de não treinar na sexta, o treinador não gostou. No sábado, o treinador me comunicou que eu não iria jogar no domingo. Eu achei que era uma retaliação e comuniquei que seria meu último dia no clube. A minha intenção era realmente de parar de jogar. Rescindi meu contrato na quarta-feira. O primeiro clube a me procurar não foi o Vasco e estava bem disposto e decidido a parar de jogar, mas depois que o Roberto ligou e falou que contava comigo, que achava que eu poderia ficar pelo menos até o final do Brasileiro para colaborar de alguma forma, acabamos fechando um contrato de cinco meses", revelou.

Ídolo do clube, Juninho também abriu mão do receber salários para retornar ao Vasco. Ele ganhará uma quantia simbólica mensal e apenas renegociou antigas dívidas que o clube tem com ele e serão pagas ao jogador em parcelas. E, apesar de todo momento financeiro complicado vivido pelo clube, ele aposta que será possível o time fechar a segunda metade desta temporada de forma bem-sucedida.

"A gente sempre espera os melhores resultados, que a gente sempre possa brigar pelas primeiras posições, mesmo em um momento difícil, mas a esperança é a de que a gente recupere tudo que sempre imagina que um clube como o Vasco possa fazer. E espero fazer o melhor campeonato possível, como foi em minha volta há dois anos", disse o jogador, lembrando de sua segunda passagem pelo clube, iniciada em 2011.

Juninho também admitiu que o fim da sua segunda passagem pelo time, ocorrida neste ano, foi acompanhada por uma fase ruim vivida por ele próprio. "Joguei 13 jogos e não fiz nenhum gol, e isso é uma coisa nova pra mim. Reconheço que o meu rendimento individual não foi o que imaginava nestes cinco meses, mas aqui não tem adaptação ou readaptação, aqui estou em casa, são muitos jogos pela frente e isso é mais fácil pra mim", assegurou.

REESTREIA NO MARACANÃ?

O meio-campista também avisou que deverá ter condições físicas de fazer a sua segunda reestreia pelo Vasco no clássico do próximo dia 21, contra o Fluminense, no Maracanã, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Seria o reencontro com o estádio no qual ele não joga desde 2000, quando se sagrou campeão brasileiro pela segunda vez pelo time vascaíno.

"Se eu for inscrito, fisicamente estou disposto e em condições de ir para o jogo, sim. Seria um prazer. Meu último jogo no Maracanã foi pelo Vasco e me traz uma recordação bem positiva, na final da Copa João Havelange (então o Brasileirão). Uma das coisas que pensei antes de parar era jogar no novo Maracanã", revelou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVascoJuninho Pernambucano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.