Juninho ganha novo time e cobrança

Juninho não terá paz em 2004. Ao contrário. Mesmo enfrentando sérias dificuldades financeiras, a diretoria fez diversas contratações. E vai querer o retorno do investimento em conquistas. A começar pelo Campeonato Paulista. O raciocínio dos diretores é simples e cruel: com São Paulo e Santos envolvidos com a Libertadores da América e o Palmeiras mantendo o elenco da Segunda Divisão do Brasileiro, a conquista do bicampeonato virou obrigação para Juninho. E ele sabe que já está ameaçado. ?A pressão virá forte. Mas estarei pronto. Vou tomar minhas providências, já que a diretoria fez a parte dela. Quero o time entrosado o mais rápido possível. Iria fazer como todo mundo: dividir a pré-temporada com sete dias para o preparo físico e sete para a parte técnica. Mas a partir do segundo dia, o time já será meu, não somente do preparador físico. Quero todos com a bola nos pés?, explica Juninho. A pré-temporada começará dia 7, em Extrema, Minas Gerais. A manutenção do treinador provocou divisões no Corinthians. O desempenho do time sob seu comando deixou a desejar. Em dez partidas no Campeonato Brasileiro, seis derrotas, um empate e três vitórias. ?O time agora, com as contratações, é bem outro. Posso escalar uma equipe com grande potencial. Por exemplo: Fábio Costa, Rogério, Anderson, Marquinhos e Gilberto; Rincón, Fabinho, Adrianinho e Rodrigo; Régis e Gil. Com uma equipe assim o caminho será bem diferente do trilhado no Brasileiro?, aposta o treinador, que está descansando em Olímpia. Régis fez exames médicos nesta segunda-feira e está tudo pronto para assinar contrato com o clube. O anúncio oficial de sua contratação é uma questão de horas. Fábio Costa marcou até entrevista coletiva no dia 6, véspera do início da pré-temporada do seu novo clube. Gilberto declarou ter outras propostas de clubes brasileiros, mas a do Parque São Jorge é a melhor e a que o interessa. Há ainda a possibilidade de Tinga acertar. Já a vinda de Alex Mineiro se torna cada vez mais difícil. A diretoria do Atlético-PR rompeu com o empresário Juan Figer e está fazendo tudo para atrapalhar o negócio. Juninho quer ainda a chegada de mais um zagueiro. ?Já falei para os dirigentes que preciso ampliar as opções para a defesa. A aposta no júnior Vitor Hugo, como a diretoria gostaria, ainda é precoce. Quero um jogador vivido.? O treinador alertou que ?a qualquer momento? o clube poderá perder Rogério, Doni ou Fabinho. ?A Hicks Muse é dona desses três atletas e se surgir um clube interessado eles podem sair. A diretoria foi bem clara. E eu tenho de estar preparado.? Embora Rogério seja líder do elenco, o jovem Coelho aprovou. Como o lateral titular recebe muito ? cerca de R$ 80 mil ?, se houver algum clube do exterior interessado, a diretoria não criará dificuldades para a saída do atleta. Com a confirmação de Fábio Costa, Doni já conversa com representantes do Internacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.