Juninho insiste em sua tese tática

Mal orientado, o técnico Juninho Fonseca optou pelo pior caminho, hoje. Visivelmente preocupado e inseguro com a polêmica criada em relação à inexplicável escalação de três volantes e três atacantes na partida contra o Botafogo da Paraíba, quarta-feira, na estréia do Corinthians na Copa do Brasil, o treinador preferiu insistir na idéia. Para ele, a vitória por 2 a 0, que eliminou a necessidade de realização do jogo de volta, é suficiente para não fazê-lo mudar de opinião. Ao se justificar, Juninho chegou a ser quase infantil. Questionado sobre o fato de ter escalado a equipe sem jogador de criação, soltou essa: ?Isso prova que as mudanças feitas no segundo tempo foram corretas e surtiram o efeito desejado?, afirmou, referindo-se às entradas dos meias Rodrigo e Dinelson, aos 25 minutos do segundo tempo. Os dois deram ritmo ao time e foram responsáveis pela jogadas que resultaram nos dois gols, o segundo deles do zagueiro Anderson, já nos acréscimos. O que o comandante corintiano parece não ter percebido é que sua opção tática não repercutiu mal apenas entre a mídia e a opinião pública. Foi questionada por dirigentes e até jogadores. Esses últimos, de forma bastante delicada, deixaram claro, ainda no vestiário em João Pessoa, que não entenderam direito o motivo de o time entrar em campo com tal formação. ?Imagine como vai ser quando jogarmos contra um time grande. Será que cabem 11 debaixo do gol??, brincou pessoa influente na diretoria corintiana. E bate o pé... ? Quando foi informado de que até os cartolas reclamaram, Juninho saiu pela tangente. ?Nós ganhamos o jogo e ficamos em uma situação bastante confortável?, lembrou. ?Acho importante que um time tenha pelo menos três opções de formação tática. A escolha por essa ou aquela depende de uma série de fatores, tais como o adversário e o regulamento da competição.? Para a partida de domingo contra o Portuguesa, às 17 horas, no Morumbi, Juninho vai mudar. Rodrigo deve entrar no meio-campo no lugar de Fabrício. Também estuda a possibilidade de Samir voltar, dessa vez na vaga de Gil, que hoje ficou de fora das atividades por causa de ?desconforto muscular? nas pernas e abdome. Na lateral-esquerda, Julinho perdeu lugar para Moreno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.