Juninho pede mais malandragem ao time

A simplicidade e o bom-humor de Juninho já mudaram o astral do time. Além da maior disposição no treino, os jogadores esqueceram as rusgas. Passaram a aceitar as cobranças dos companheiros e até riram em determinadas situações, quando o treinador dava uma bronca e em seguida completava com uma piadinha. "Já deu para sentir que o ambiente ficou mais leve", diz Fabinho. "Os jogadores voltaram a se cobrar e todo mundo está aceitando numa boa". Aparentemente Juninho pode ser visto como um técnico bonzinho, do tipo paternalista. Mas o seu discurso com os jogadores não é bem assim. Hoje, por exemplo, ele passou 15 minutos conversando com os titulares entre um treinamento e outro. Na saída de campo, os jogadores denunciaram. "Ele pede um pouco mais de malandragem", diziam os meninos Jô e Coelho. Jô ainda acrescentou, lembrando que Juninho até citou o exemplo de Luizão na Copa do Mundo, que no jogo contra a Turquia, sofreu uma falta fora da área mas caiu dentro e conseguiu cavar o pênalti. "Ele quer o time mais atento aos detalhes". Já o lateral Coelho citou como exemplo dado por Juninho a encenação de Rivaldo, também na Copa. "Não é que ele quer que a gente engane a arbitragem. Mas disse que é importante estar atento a tudo", tentou consertar Coelho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.