Reprodução
Reprodução

Juninho Pernambucano agradece carinho em despedida do Vasco

Com vontade de 'abraçar fortemente todos' e se sentindo 'amado', meia mostra emoção

AE, Agência Estado

31 de janeiro de 2014 | 10h13

RIO - O torcedor do Vasco foi surpreendido com o anúncio feito pelo presidente Roberto Dinamite na última quarta-feira, confirmando que o meia Juninho Pernambucano havia decidido se aposentar do futebol profissional. Somente nesta sexta, no entanto, o jogador decidiu se manifestar e não escondeu a emoção pelo carinho que recebeu nos últimos dias, ao dizer que se sentiu "amado".

"Depois de receber tantas homenagens e mensagens, podem ter a certeza de que não acho que mereça tanto. No fundo somos todos iguais, apenas a cada instante da vida temos que tomar decisões que nos levam aos caminhos que teremos que percorrer", escreveu em sua página no Facebook. "Tudo isto é muito louco e por isso sei que não tenho nada de especial. Mas é claro, como não gostar de ser amado? Como não agradecer e sentir vontade de abraçar fortemente todos vocês que pensaram que merecia isso, mesmo que apenas no pensamento?", completou.

Aos 39 anos, Juninho abandona uma vitoriosa carreira, mas que teve um último capítulo não tão alegre. Em 2013, na última competição que disputou, o jogador não conseguiu impedir o rebaixamento do Vasco no Campeonato Brasileiro. Para piorar, sofreu uma grave lesão muscular na coxa direita em novembro. Ele até tentou se recuperar para voltar em 2014, mas parece ter cansado e decidiu se aposentar antes mesmo que pudesse retornar aos gramados.

"Finalmente aprendi que só ganhar não é legal, pois a derrota algumas vezes te fala umas verdades. E uma verdade é que não jogarei mais profissionalmente, mas graças a Deus foi muito bom enquanto durou, ainda mais tendo a chance de sentir essa energia enquanto eu tentava me superar", comentou.

Juninho ainda se despedirá oficialmente da torcida na semana que vem, já que deve dar uma entrevista coletiva para selar sua aposentadoria. Mesmo encerrando seu ciclo como jogador de futebol, ele deixou uma dúvida sobre seu futuro no ar, ao tratar a carreira como atleta como "primeira parte da minha vida profissional".

"Sou tão grato ao futebol e as pessoas que me ajudaram, que essas homenagens são transferidas automaticamente a elas, pois a gratidão está se distanciando dos homens, mas não de mim. Obrigado a todos que participaram da primeira parte da minha vida profissional, sendo próximos ou não. Tenham todos vocês a certeza do meu sincero e eterno respeito", apontou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVascoJuninho Pernambucano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.