Juninho quer o Palmeiras no ataque

O meia Juninho Paulista quer que quase tudo seja diferente nesta quarta-feira, no Palestra Itália. Só quase. No último confronto entre São Paulo e Palmeiras pela Copa Libertadores, em 1994, ele era um dos destaques do time são-paulino, que saiu vitorioso do confronto. Hoje, defendendo o rival, o jogador evita reviver o passado."Fui feliz no São Paulo, mas já passou. Agora estou aqui no Palmeiras e o que espero é que a felicidade continue do meu lado", disse o jogador.Juninho também comentou as declarações do atacante Grafite, que prometeu "fazer festa na casa do vizinho e mijar de porta aberta". "Quem tem boca fala o que quer. Mas da minha parte, acho que um clássico é definido dentro de campo e será um jogo bastante disputado, sem favoritos", disse o meia. "Vai ganhar quem errar menos nos detalhes."Sobre a partida, Juninho afirmou que a opção do técnico Paulo Bonamigo de escalar o time com três zagueiros não será sinal de jogo retrancado, mas de uma preocupação em não tomar gols em casa na Libertadores. "Independentemente do esquema tático, o Palmeiras tem de pensar grande e ir para a frente", avisou o jogador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.