Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Juntos, Palmeiras e Corinthians pedem fim da violência

As equipes se enfrentam no Pacaembu, às 16 horas, pela oitava rodada do Campeonato Paulista

Daniel Batista, Denise Bonfim e Vítor Marques, O Estado de S. Paulo

14 de fevereiro de 2014 | 12h00

SÃO PAULO - "Adversário não é inimigo. Rivais só em campo". Com este lema, Corinthians e Palmeiras se unem contra a violência nos estádios às vésperas de mais um clássico. Neste domingo, as equipes se enfrentam no Pacaembu, às 16 horas, pela oitava rodada do Campeonato Paulista. A ação conjunta foi realizada na manhã desta sexta-feira no Salão Nobre do Pacaembu, que abrigará o confronto. A ação pela paz reuniu os presidentes do Corinthians, Mário Gobbi, e do Palmeiras, Paulo Nobre, além dos técnicos Mano Menezes e Gilson Kleina. Um time de peso.

"Não dá mais para ficar de braços cruzados e assistir a cenas de vandalismo, de desrespeito ao ser humano e à cidadania. Atos e condutas como essas afastam pessoas do futebol, quando na verdade precisamos de pessoas, de torcedores do nosso lado. A alma do futebol é o torcedor", disse Gobbi. No dia 1º de fevereiro, o CT do Corinthians foi invadido por mais de cem torcedores. Jogadores foram agredidos e funcionários, saqueados.

"Estamos falando de Palmeiras e Corinthians, do dérbi, daquela que é a maior rivalidade do futebol paulista, se não for do futebol brasileiro", afirmou Paulo Nobre. "Odiar o torcedor adversário é insano, espancar alguém que veste a camisa do outro time é uma atitude selvagem."

Para Mano Menezes, todos perdem com a violência nos estádios, mas quem comanda o futebol tem de dar exemplo. "Cada evento que passamos, notamos que as coisas caminham para um sentido contrário do que queremos, todos vamos perder. Vocês (jornalistas) acabam de perder um colega, uma vida, e nos estamos abordando que isso poderia ter acontecido nos últimos eventos do futebol. Este gesto é simbólico", disse o treinador do Corinthians, lembrando da morte do cinegrafista Santiago Andrade, da TV Bandeirantes, vítima de um rojão na cabeça durante manifestação contra o aumento do preço das passagens de ônibus no Rio.

Kleina reforçou que a rivalidade entre os times deve acontecer somente dentro do campo. "Que a segunda-feira siga para todos", afirmou o treinador do Palmeiras.

Corinthians e Palmeiras também definiram que os times vão entrar em campo juntos no gramado neste domingo. Além disso, os jogadores vão carregar uma faixa, que será exibida ao público do Pacaembu, com o lema da ação: "Adversário não é inimigo. Rivais só em campo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.