Martin Meissner/AP
Martin Meissner/AP

Jürgen Klopp deixará o Borussia Dortmund no fim da temporada

Técnico ficou sete anos no comando da equipe alemã e fez história

Estadão Conteúdo

15 de abril de 2015 | 09h56

Uma era chegará ao fim no Borussia Dortmund ao término da temporada 2014/2015 do futebol europeu. O técnico Jürgen Klopp anunciou nesta quarta-feira que vai deixar o comando da equipe ao final da temporada, depois de sete anos no cargo, saindo do time alemão após um ano decepcionante.

O Borussia Dortmund aceitou a decisão do treinador e vai rescindir o contrato de Klopp, que era válido até 30 de junho de 2018. O clube ainda não se manifestou sobre um possível sucessor do técnico. "Eu tenho dito ao longo dos anos que, quando tivesse a sensação de que já não sou o treinador perfeito para este clube extraordinário, eu diria", afirmou Klopp.

O diretor executivo do Dortmund, Hans-Joachim Watzke, disse, em entrevista coletiva, que o treinador terá o "agradecimento eterno" dos torcedores do clube. Klopp levou o Borussia Dortmund aos títulos do Campeonato Alemão em 2011 e 2012, ganhou a Copa da Alemanha e chegou à final da Liga dos Campeões da Europa em 2013, sendo batido pelo Bayern de Munique na decisão.

O Dortmund também foi vice-campeão alemão em 2013 e 2014, em ambos os torneios ficando atrás do Bayern, mas tem desempenho ruim nesta temporada. O time chegou a ocupar a zona de rebaixamento do Campeonato Alemão e agora está em décimo lugar, seis pontos acima da zona de rebaixamento, a seis rodadas do fim da competição. Além disso, o Dortmund perdeu as duas últimas partidas.

Klopp, que já teve o seu nome associado a clubes da Inglaterra e Espanha, disse que não tem "nada na mão" de qualquer outro time, mas também não possui planos para um ano sabático. "Embora possa ser, obviamente, que eu tenha que fazer um, ou um semestre livre, eu não sei. Nada é planejado, nada é calculado", afirmou, acrescentando que deseja terminar a temporada do modo "mais excepcional possível".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.