EFE
EFE

Justiça bloqueia 10% da venda de Gabriel pelo Santos para a Inter de Milão

Decisão foi tomada após ação judicial do empresário Candido Padin Neto

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2016 | 11h44

O Santos terá de depositar em juízo 10% do valor da negociação do atacante Gabriel com a Inter de Milão, o que corresponde a cerca de R$ 10 milhões. A Justiça de São Paulo determinou o depósito a partir de uma ação judicial do empresário Candido Padin Neto, que afirma ter direito ao repasse de 10% do valor de qualquer transação com o atacante. O Santos tem dois dias para fazer o depósito. Caso contrário, estará sujeito ao pagamento de multa por descumprimento da ordem judicial.

A Inter de Milão adquiriu os direitos econômicos do jogador por 29 milhões de euros (R$ 102 milhões) no mês de agosto. Fontes ligadas à diretoria santista afirmam que o clube que ainda não recebeu a quantia referente à venda. Do montante, cerca de 18 milhões de euros (R$ 65 milhões) são da equipe santista - o restante (aproximadamente R$ 34 milhões) são do atleta.

"Dos documentos juntados verifico a probabilidade do direito do autor bem como a urgência da medida, esta última devido ao risco ao resultado útil do processo, uma vez que, segundo o autor o valor decorrente da negociação do co-réu com o Clube Internacional será creditado nos próximos dias", diz trecho da decisão do juiz Fernando José Cúnico.

A decisão judicial, no entanto, não exige a exibição dos documentos relativos à transferência. Os advogados de Candido Padin recorreram para que os valores reais da negociação sejam revelados. Padin Neto afirma ter descoberto o jovem craque em 2004. Por seu intermédio, Gabriel teria sido levado para jogar futebol de salão no Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.