Jorge Abrego/Efe
Jorge Abrego/Efe

Justiça boliviana decreta prisão preventiva dos torcedores do Corinthians

Corintianos envolvidos na morte de garoto boliviano serão encaminhados para presídio em Oruro

Denise Bonfim,

22 de fevereiro de 2013 | 15h33

ORURO - Os 12 torcedores do Corinthians detidos na Bolívia após a morte do garoto Kevin Douglas Beltrán Espada tiveram sua prisão declarada pelo juiz cautelar da Corte Superior de Justiça de Oruro. Durante a partida, o jovem torcedor do San José foi atingido por um sinalizador e morreu a caminho do hospital, ainda no primeiro tempo de partida.

Mantidos na delegacia desde o fim do jogo entre San José e Corinthians, todos os torcedores foram acusados de homicídio - dez deles por cumplicidade e dois por autoria. Ministro conselheiro da embaixada brasileira em La Paz, Eduardo Saboia está em Oruro para intermediar o contato entre os brasileiros e a polícia local.

Os torcedores serão levados ainda hoje para o presídio de San Pedro.

De acordo com a assessoria de imprensa do Itamaraty, o crime será julgado pelas leis bolivianas sem nenhuma interferência da justiça brasileira. O consulado do Brasil em La Paz enviará um advogado da embaixada e um diplomata para acompanhar o caso.

PUNIÇÃO

Devido ao incidente, o Corinthians foi punido pela Conmebol com a exclusão de sua torcida de todas as partidas do torneio. O departamento jurídico do clube entrará ainda nessa sexta com um recurso junto a entidade para que o parecer seja revertido. Cerca de 28,5 mil ingressos já foram vendidos para a primeira partida válida após a punição, contra o Millionários (COL), na próxima quarta-feira, no Pacaembu.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCopa LibertadoresCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.