Justiça Comum põe Caxias na Série A

O juiz Antônio Claret Flores Cecatto, da 6ª Vara Cível de Caxias do Sul, deferiu o pedido de liminar impetrado pela prefeitura da cidade no sentido de recolocar a Sociedade Esportiva e Recreativa Caxias do Sul (SER Caxias) na Série A do Brasileirão. Esse episódio foi mais um na batalha que envolve o clube caxiense e o Figueirense (SC) desde a fase final da Série B, no ano passado. Segundo determinou o juiz, a CBF tem cinco dias para incluir o Caxias na elite do futebol nacional, sob o risco de pagar uma multa diária de R$ 100 mil.A pendência se estabeleceu ainda na partida disputada dia 22 de novembro, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, pela Série B.O Caxias jogava pelo empate para garantir a ascensão à Série A, enquanto o Figueirense precisava vencer. O time catarinense estava ganhando por 1 a 0, gol de Abimael, até os 46 minutos, quando o gramado foi invadido pela torcida. Faltava pouco mais de um minuto para o encerramento do jogo, conforme os acréscimos indicados pelo árbitro Alfredo Santos Loebeling (SP).O Caxias foi à Justiça Desportiva. No início, houve uma polêmica em relação ao conteúdo da súmula. Nesta, Loebeling escreveu que havia encerrado o jogo, mas depois voltou atrás, alegando pressão de Armando Marques, presidente da Comissão Nacional de Arbitragem. Marques chegou a ser afastado do cargo, mas retornou em seguida, sendo declarado inocente.No primeiro julgamento, na 4ª Câmara do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o Figueirense ganhou a causa. Foi considerada válida a tese de que ocorrera uma "invasão festiva". Depois, no Pleno do STJD, dia 11 de abril, o Caxias foi declarado vencedor e fez a festa da classificação.Na seqüência, dia 20 de junho, véspera do jogo Brasil x Inglaterra, na Copa do Mundo, o STJD revisou o caso e deu a vitória ao Figueirense. O curioso é que o tribunal retirou os três pontos do Figueirense, mas considerou válido o gol. Nesse caso, o Figueirense se classificou pelo saldo.Baseada nessa contradição e sentindo uma certa lerdeza da Justiça Desportiva, a prefeitura de Caxias entrou, sexta-feira, com o pedido de liminar, deferida nesta segunda. Vânius Corte, procurador-geral do município, disse que a decisão do juiz está bem embasada e considera difícil uma reversão. Mas a CBF deverá recorrer. Por enquanto, o Caxias está na Série A.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.