Justiça dá ganho de causa a Luizão

O Corinthians perdeu hoje na Justiça do Trabalho para o atacante Luizão e o meia Luís Mário. Os jogadores ganharam a ação que moveram contra o clube do Parque São Jorge e estão livres para atuarem em qualquer outro clube sem dar um centavo para o Alvinegro. A decisão foi em primeira instância e caberá recurso no Tribunal Regional do Trabalho (TRT). De acordo com a sentença na 12. ª Vara da Justiça do Trabalho, o Corinthians terá de pagar tudo o que deve a Luizão (salários travestidos de contrato de imagem de novembro, dezembro e janeiro), mais férias, 13.º salários e FGTS. A advogada do atacante, Gislaine Nunes, disse que os valores ainda não foram calculados, mas seu cliente deverá receber cerca de R$ 5 milhões. Luís Mário deverá voltar a jogar no Grêmio, clube que ele defendeu por empréstimo no ano passado. O Grêmio poderá fechar uma parceria com o Herta Berlim, da Alemanha, para ter Luizão até a metade do ano. Seu procurador, Thiago Granato, confirmou que existe interesse de Luizão jogar no Grêmio, porque quer ser convocado para a seleção brasileira. Dos dois casos julgados hoje, o mais polêmico referia-se ao processo entre Luizão e o Corinthians. O jogador, alegando atraso nos salários desde novembro, incluindo o direito de imagem e recolhimento do FGTS, reivindicava a liberação do contrato com o Corinthians, além de receber o que o clube lhe deve, mais 50% de dois anos e meio de contrato que faltavam para cumprir com o campeão paulista. No total, Luizão pedia cerca de R$ 7,3 milhões. "Ganhamos quase tudo", disse a advogada do atacante, hoje, à tarde na Justiça do Trabalho, após a sentença do juiz da 12.ª Vara do Trabalho, Glener Pimenta Stroppa. "Perdi alguma coisa como uma multa de 40% sobre o FGTS, mas posso considerar uma goleada em cima do Corinthians." Na sentença, o juiz escreveu que concede "a tutela específica ao reclamante (Luizão) liberando-o para procurar outro clube, independentemente do trânsito em julgado, devendo ser oficiados a Federação Paulista de Futebol (FPF) e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O juiz deu oito dias para o cumprimento da sentença. Pouco antes do julgamento do caso Luizão, o Corinthians havia sofrido outra derrota na 53.ª Vara da Justiça do Trabalho. O juiz Evídio de Sá deu a sentença liberando Luís Mário para atuar em outro clube sem o pagamento de R$ 4,5 milhões como caução e R$ 5 milhões de indenização, como queria o Corinthians. Os advogados do clube deverão anunciar amanhã o caminho que irão tomar para tentar reverter a situação.

Agencia Estado,

06 Março 2002 | 15h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.