Justiça dá prazo para definição de horários do Gauchão

O juiz trabalhista Rafael da Silva Marques deu prazo de 24 horas, até o final da tarde de quarta-feira, para a Federação Gaúcha de Futebol (FGF) e o Sindicato dos Atletas Profissionais do Rio Grande do Sul (Siapergs) chegarem a um acordo que acabe com a polêmica sobre o horário dos jogos do Campeonato Gaúcho.

ELDER OGLIARI, Agencia Estado

09 de fevereiro de 2010 | 20h39

Os presidentes da FGF, Francisco Noveletto, e do Siapergs, Paulo Cesar Mocellin, participaram de audiência de conciliação com o juiz nesta terça-feira e saíram convictos de que o impasse está chegando ao fim.

Eles devem concordar com a proposta, feita pelo juiz, de manter os jogos do próximo sábado para às 16 horas, desde que a temperatura não atinja 35 graus. As partidas das rodadas posteriores começarão às 17 horas, até 21 de março, quando voltam para às 16 horas.

Em nota distribuída à imprensa, o Tribunal Regional do Trabalho advertiu que, se não houver acordo, permanece a decisão que impede jogos entre às 10 e às 18h, sob qualquer temperatura, e também entre às 18h01min e às 19h29min, se a temperatura superar 35 graus.

A limitação, estabelecida por liminar concedida ao sindicato, havia mergulhado o Campeonato Gaúcho na incerteza. Os clubes temiam perder as cotas pagas pela televisão pelo direito de transmissão das partidas previstas para o período bloqueado. As emissoras, por sua vez, se viam forçadas a alterar a grade de programação ou transmitir jogos de outros Estados para preencher eventuais horários vazios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.