AFP
AFP

Justiça de Santos suspeita de fraude na venda de Neymar

Atacante terá de entregar documentos por pedido da Teisa

O Estado de S. Paulo

24 de junho de 2015 | 22h14

A juíza Thaís Coutinho, da 11ª Vara Cível de Santos, determinou nesta quarta-feira que o atacante Neymar e o seu pai entreguem toda a documentação da venda do jogador do clube da Vila Belmiro para o Barcelona, concretizada em junho de 2013. A decisão atende a um pedido da Teisa (Terceira Estrela Investimentos S.A), empresa que comprou 5% dos direitos econômicos do atleta em 2010.

Neymar já é réu na Justiça da Espanha sob a acusação de corrupção privada e pela simulação de contratos e agora também passa a ser alvo no Brasil. A Teisa reclama que foi prejudicada na negociação e que não recebeu o montante a que tem direito pela transferência de Neymar.

A empresa afirma ter recebido um percentual equivalente aos 17,1 milhões, mas o correto seria um pagamento maior, já que o Barcelona teria desembolsado um valor superior para contratar o brasileiro, que em 2015 ajudou o clube catalão a conquistar a tríplice coroa na temporada europeia.

O atacante e o seu pai agora vão ter que entregar toda a documentação e a juíza argumenta que "há robustas evidências de que o valor real envolvido na transferência do jogador tenha, de fato, sido ocultado pelos participantes diretos do negócio".

Na Espanha, o processo foi aberto a pedido do grupo DIS, também dono de uma fatia dos direitos econômicos do jogador. Assim como a Teisa, a empresa a alega ter sido prejudicada na negociação e pede a abertura dos documentos referentes à transferência de Neymar.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCNeymarFC Barcelona

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.