Justiça decreta prisão preventiva de corintianos

Os 12 torcedores do Corinthians detidos na Bolívia após a morte do garoto Kevin Douglas Beltrán Espada tiveram sua prisão declarada pelo juiz cautelar da Corte Superior de Justiça de Oruro, Julio Guarachi. Durante a partida, o jovem torcedor do San José foi atingido por um sinalizador e morreu na hora, ainda no primeiro tempo de partida.

AE, Agência Estado

22 de fevereiro de 2013 | 16h49

Mantidos na delegacia desde o fim do jogo entre San José e Corinthians, todos os torcedores foram acusados de homicídio - dez deles por cumplicidade e dois por autoria. Ministro conselheiro da embaixada brasileira em La Paz, Eduardo Saboia está em Oruro para intermediar o contato entre os brasileiros e a polícia local.

De acordo com a assessoria de imprensa do Itamaraty, o crime será julgado pelas leis bolivianas sem nenhuma interferência da justiça brasileira. O consulado do Brasil em La Paz enviará um advogado da embaixada e um diplomata para acompanhar o caso.

Estão presos Leandro Silva de Oliveira (21 anos), Tadeu Macedo Andrade (30), Reinaldo Cohelo (35), José Carlos da Silva Júnior (20), Marco Aurélio Mecere (31), Danielo Silva de Oliveira (27), Hugo Nonato (27), Clever Souza Clous (21), Cleuter Barreto Barros (24), Fávio Neves Domingos (32), Rafael Machado Castilho Araújo (18) e Tiago Aurélio dos Santos Ferreira (27).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.