Jason Cairnduff / Reuters
Jason Cairnduff / Reuters

Justiça espanhola convoca Mourinho para depor em caso de fraude fiscal

Treinador teria sonegado 3,3 milhões de euros (12,3 milhões de reais)

Estadão Conteúdo

29 de setembro de 2017 | 13h30

O técnico José Mourinho foi convocado nesta sexta-feira pela Justiça espanhola para depor sobre as acusações de fraude fiscal que enfrenta. Em junho, o Ministério Público do país o acusou de fraudar 3,3 milhões de euros durante sua passagem pelo Real Madrid, entre 2010 e 2013.

Um juiz espanhol ordenou que Mourinho compareça a um tribunal em Madri para responder perguntas sobre o caso no dia 3 de novembro. Dois dias depois, o Manchester United, clube atualmente comandado pelo português, visita o Chelsea em Londres em clássico válido pelo Campeonato Inglês.

A denúncia contra Mourinho foi apresentada a um juiz de instrução de Pozuelo de Alarcón, um município que fica próximo à capital espanhola, e aponta que o treinador fraudou uma quantia de 3.304.670 euros, sendo 1.611.537 euros em 2011 e 1.693.133 euros em 2012.

Com base em informações coletadas junto à Receita da Espanha, a procuradoria de Madri acusa Mourinho de ter usado empresas fantasmas na Irlanda e nas Ilhas Virgem para ocultar lucros obtidos por meio de seus direitos de imagem.

Inicialmente, a Gestifute, empresa do empresário Jorge Mendes responsável por gerenciar a carreira do português, negou que o treinador tenha sido notificado. E mais do que isso, garantiu que Mourinho não cometeu qualquer delito, indo de encontro à denúncia da Justiça espanhola. Agora, porém, ele terá que se explicar às autoridades do país.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolJosé Mourinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.