Divulgação
Divulgação

Justiça interdita Beira-Rio; Inter promete recorrer

O estádio está dividido entre as obras para a Copa e as arquibancadas ainda utilizadas pelo público; o clube tentará reverter a proibição com recurso ao Tribunal de Justiça do RS

ELDER OGLIARI, Agência Estado

23 de junho de 2012 | 12h57

O juiz João Ricardo dos Santos Costa, da 16ª Vara Cível de Porto Alegre, acolheu pedido do Ministério Público e interditou o Estádio Beira-Rio, do Internacional, para eventos esportivos ou culturais. A decisão foi tomada na noite de sexta-feira. O clube, que sabia da ação, mas não havia elaborado uma alternativa, vai se movimentar em duas frentes.

Em uma delas, tentará reverter a proibição com recurso ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Ao mesmo tempo tratará de escolher um estádio para usar nos jogos nos quais é o mandante. Entre as principais possibilidades estão o Centenário, de Caxias do Sul, e o Estádio do Vale, em Novo Hamburgo.

A definição pode demorar alguns dias porque a próxima partida do Inter em casa está marcada somente para o dia 7 de julho, contra o Cruzeiro, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Antes, o time gaúcho enfrentará o Sport, em Recife, neste domingo, e o Bahia, no dia 1º de julho, em Salvador.

Em seu despacho, o magistrado mostrou-se preocupado com a segurança do público que frequenta o Beira-Rio, um estádio atualmente dividido entre arquibancadas ainda utilizadas por torcedores e a área de reformas para a Copa do Mundo de 2014.

Também considerou que, em caso de tumulto, o descontrole das massas poderia afastar os obstáculos de acesso ao canteiro de obras, um terreno potencialmente perigoso a uma multidão. Lembrou ainda que os demais estádios do País que passam por obras foram fechados temporariamente. O clube, por sua vez, entende que o canteiro de obras está devidamente isolado.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInterBeira-Riointerdição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.