Justiça investiga roubo de arquivo sobre Bin Hammam

A ex-diretora financeira da Confederação Asiática de Futebol (AFC, na sigla em inglês) e seu marido estão sendo acusados de roubar um arquivo relacionado com a investigação sobre corrupção de Mohamed bin Hammam, presidente suspenso da entidade. Kong Lee Toong, marido de Amelia Gan, se declarou inocente diante de um tribunal em Kuala Lumpur nesta quarta-feira da acusação de ter pego o documento do escritório da AFC em 31 de julho.

AE-AP, Agência Estado

19 de setembro de 2012 | 09h58

Amelia, que está fora da Malásia, terá que responder ao processo quando voltar. A condenação acarreta uma sentença de prisão de até 10 anos. O procurador Kee Wei Lon disse que os documentos eram sobre operações bancárias pessoais de Bin Hammam. De acordo com a confederação, o "arquivo foi retirado do escritório da AFC e passado para um terceiro".

Bin Hammam enfrenta acusações de má gestão financeira e corrupção, mas insiste que é vítima de ações políticas. O dirigente teve uma suspensão vitalícia do esporte, imposta pela Fifa, derrubada pela Corte Arbitral do Esporte em julho. Bin Hammam havia sido punido por ter subornado eleitores caribenhos durante a sua campanha para a presidência da Fifa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.